Em 3 anos, abertura de novas empresas supera números da última década em Corumbá

Entre 2013 e 2015, 2.293 empreendimentos comerciais foram abertos em Corumbá. Os números são da Junta Comercial do Estado de Mato Grosso do Sul (JUCEMS) e comprovam que o fortalecimento do empreendedorismo local nesse período já é maior que todo o acumulado da última década. Em média, foram duas novas empresas abertas em Corumbá por dia nos últimos três anos.

 

Até as principais redes atacadistas do País investiram na cidade, como a Casas Bahia e a Lojas Americanas. A presença cada vez mais comum de franquias famosas, como a Subway, Chiquinho Sorvetes, Ki Coxinha, Moça Biju, Mix Potato, Quality Lavanderia e mais recentemente a Mr. Cold e a Old Dog, também transformou a economia local. E mesmo no atual cenário econômico nacional, a cidade continua sendo atrativa.

 

Até o final de abril será inaugurada em Corumbá a maior loja do Brasil da Esmalteria Nacional, franquia dedicada aos cuidados de unhas e cabelos. “O espaço não se trata de um local como tantos já existentes onde as clientes podem fazer as unhas, mas um conceito que vem crescendo no mercado com a chance de oferecer momento de embelezamento, relaxamento e descontração”, explicou Gilvan Machado, sócio proprietário da loja juntamente com os irmãos Saulo e Odilsema.

 

Ainda no setor de Serviços, foi nítido o desenvolvimento da rede de supermercados ocorrido nos últimos três anos. Se o cenário era quase escasso em meados de 2012, a realidade hoje é outra. O Quadri atualmente funciona com quatro lojas, o Atacado Fernandes com três, além do Frey, do Serv Mais e do Super Mais, inaugurado no ano passado na parte alta da cidade, no bairro Nova Corumbá.

 

Esse fortalecimento da economia impulsionou também o investimento de empresários da região. O Dolce Café, a Italian Coffee, a Padaria Buenos Aires e o Açaí Carioca surgiram como novas e modernas opções no mercado. Todos esses são exemplos importantes porque geram emprego e renda para muita gente, mas o grande destaque para o Município nesse período foi, sem dúvida, o fortalecimento dos microempreendedores individuais, os chamados MEIs.

 

Corumbá possui até dezembro de 2015, 2.425 empreendedores individuais formalizados, sendo que entre 2013, quando a Prefeitura criou a Sala do Empreendedor, e 2015, 75% das formalizações no respectivo período ocorreram nesse local, ligado à Secretaria Municipal de Indústria e Comércio. A Sala do Empreendedor consolidou-se como ferramenta de apoio ao empreendedorismo local.

 

Políticas Públicas

 

Algumas ações da Prefeitura de Corumbá foram determinantes para o fortalecimento do comércio local, como a Lei Complementar número 160, que criou o Programa Corumbá em Desenvolvimento (CODES), fortalecendo políticas de incentivos ao desenvolvimento econômico e social; e a Lei Complementar número 165, que ofereceu tratamento tributário diferenciado, favorecido e simplificado, concedido às microempresas e empresas de pequeno porte da cidade.

 

“Mas o fato determinante para tudo isso foi sim o fechamento da Ferinha Boliviana, onde era vendido de tudo, sem nenhum controle ou regulamentação”, afirmou o secretário municipal de Indústria e Comércio, Pedro Paulo Marinho de Barros. “A feirinha funcionava totalmente fora do seu objetivo inicial e, conforme destacou o Corpo de Bombeiros e o próprio Ministério Público Estadual na época, colocava em risco os comerciantes e clientes que frequentavam o local”, completou.