Processo simplificado seleciona médicos plantonistas para área da Saúde

A Prefeitura de Corumbá, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, está contratando profissionais da área de Medicina para atuar nos setores de urgência e emergência. O edital 02/2016 foi publicado na edição da última quinta-feira, 25 de fevereiro, do DIOCORUMBÁ.

 

São sete vagas, com carga horaria de 20 horas (que serão executadas em regime de plantão) com salário base de R$ 4.164,40. As inscrições devem ser feitas até a próxima quinta-feira, dia 25, na Escola de Governo, localizada na rua Colombo, número 1.766.

 

“Reforçamos que o objetivo da gestão do prefeito Paulo Duarte é sempre melhorar e trazer boas condições de saúde para os munícipes de Corumbá. E isso se dá, além de muitas outras coisas, com a melhoria de acessibilidade, dos serviços ofertados e nos atendimentos multiprofissionais”, afirmou Desiane Silva, que responde pela Secretaria Municipal de Saúde.

 

“Aos poucos estamos enfrentando os problemas e alcançando nossas metas. Um dos problemas enfrentados é exatamente a contratação de médicos que queiram trabalhar na Rede de Saúde Pública. Porém esse não é um problema só do nosso Município, mas é sim de nível nacional”, complementou.

 

Para dirimir essa demanda, a Secretaria de Saúde tem realizado processos seletivos simplificados, como também concurso público para contratação de profissionais médicos. “Mas, infelizmente, as vagas disponibilizadas não foram preenchidas em suas totalidades, principalmente a área dos especialistas”, explicou Desiane.

 

Como incentivo para atrair novos profissionais médicos, através da Lei Complementar nº. 179 de 2014, os salários base dos profissionais médicos foram reajustados para R$ 4 mil (médico clínico), R$ 5 mil (médico da Saúde da Família) e R$ 6 mil (médico especialista), todos com carga de 20 horas semanais de trabalho.  

 

Panorama

 

No último concurso público realizado pela Prefeitura de Corumbá, foram ofertadas 32 vagas para médicos em diferentes especialidades. Dessas, só 12 foram preenchidas (menos de 38% da demanda necessária). Com os Processos Seletivos Simplificados, que tem validade de um ano, foram ofertadas outras 87 vagas de 2013 até hoje, mas apenas 29 delas foram ocupadas (33%).   

 

Em 2013, foram dois processos simplificados: o primeiro com 20 vagas e só 11 contratações, sendo que para as especialidades de psiquiatria e anestesista não houve classificação; e o segundo com quatro vagas (novamente psiquiatria e três para Estratégia de Saúde da Família), e nenhum ocupação.

 

Em 2014 mais um processo simplificado foi realizado pela Prefeitura, sendo que das 14 vagas ofertadas, só cinco foram preenchidas (ginecologista, ortopedista, cardiologista, e duas de infectologista). Todas as demais (pediatra, ultrassonografia, psiquiatria, anestesista, oftalmologista e oncologia) continuaram sem procura por parte dos profissionais.

 

Ainda em 2014 o Concurso Público de Provas e Títulos ofereceu vagas para anestesiologista, ginecologista, ortopedia, pediatra, ultrassonografista, oftalmologista, oncologista, radiologista, remautologista e plantonista. Das 32 vagas, 17 foram convocados e só 12 tomaram posse. As especialidades de ultrassonografia, oncologia e radiologia continuaram sem interessados.

 

No ano passado foram mais quatro processos para contratação imediata de profissionais de medicina: no primeiro, com 19 vagas, só quatro foram contratados (radiologista e oftalmologista novamente sem procura); no segundo, para médico plantonista, só três das 13 vagas foram preenchidas.

 

No terceiro processo seletivo simplificado de 2015, com três postos de trabalho, foram contratados um psiquiatra e um clínico geral (não houve procura para o cargo de clínico geral para trabalhar no Consultório na Rua). No quarto, foram selecionados três plantonistas (eram sete vagas) e um pediatra.

 

Os profissionais contratados no atual processo seletivo simplificado atuarão no Pronto Socorro e na UPA 24 horas, garantindo mais agilidade e qualidade no serviço de urgência e emergência oferecido à população da região, onde além dos corumbaenses, estão também incluídos os ladarenses e os bolivianos que residem na faixa de fronteira.