No Paiolzinho e Taquaral, volta às aulas é prejudicada pelas chuvas

A volta às aulas nas escolas municipais rurais Paolzinho e Monte Azul foi prejudicada pelas chuvas intensas que tem caído na região, causando sensíveis danos às estradas vicinais. O retorno seria nesta segunda-feira, 29 de fevereiro, mas acabou sendo adiado pela Secretaria de Educação que, juntamente com as equipes da Secretaria de Infraestrutura e Serviços Públicos, vistoriou o trajeto, principalmente as linhas de ônibus, constatando que as condições de tráfego não são das melhores.

 

A secretária de Educação, Roseane Limoeiro, informou que os serviços de manutenção das estradas vicinais são frequentes. “A Prefeitura tem realizado um trabalho constante para manter as estradas em boas condições. Infelizmente, nestes últimos dias, choveu muito no Município, danificando as estradas”, disse, lembrando ser inviável o trabalho de recuperação durante as chuvas.

 

Diante dessa situação, conforme a secretária, o calendário escolar será reorganizado nas escolas rurais Paiolzinho e Monte Azul, a fim de garantir a reposição dessas aulas para que os alunos não tenham prejuízo de sua carga horária.

 

Roseane explicou que a equipe pedagógica da secretaria e a equipe gestora das duas escolas estão acompanhando a atual situação, para programas o retorno às aulas assim que for possível.

 

Já a Secretaria de Infraestrutura aguarda apenas a estiagem, para fazer os serviços necessários, de forma urgente. Para se ter uma ideia, nos últimos 11 dias a precipitação pluviométrica em Corumbá atingiu a 288 mm. Já no mês inteiro, a chuva alcançou a marca de 321 mm.

 

Porto Esperança

 

Outra informação é que as aulas na Escola Municipal Rural Porto Esperança foram iniciadas hoje. Porém o prédio passará por uma reforma para melhor atender aos alunos, e a equipe gestora da unidade de ensino já está conversando com a comunidade escolar, para definir o local onde as aulas serão ministradas, enquanto o prédio estiver em reforma.

 

A secretária de Educação informa que o local provisório onde funcionará a escola, é importante para não prejudicar a carga horária dos alunos. Ela salienta que a reforma do prédio já foi licitada e a Prefeitura está aguardando os trâmites finais para dar início aos serviços.