Prefeitura e parceiros fazem uma ‘faxina’ no Beira Rio contra o Aedes aegypti

Bairro com maior incidência de infestação do mosquito Aedes aegypti, o Beira Rio está sendo atendido com um grande mutirão desde as primeiras horas da manhã desta sexta-feira, 22. Trata-se de uma verdadeira ‘faxina’ a exemplo do que ocorreu no final da semana passada em parte do Bairro Cristo Redentor.

 

O trabalho está sendo realizado por equipes da Prefeitura Municipal, com apoio de militares do Exército Brasileiro e também do Supermercado Quadri. “Esta é uma ação que faz parte do programa de prevenção e combate ao mosquito, desenvolvido pela Secretaria de Saúde da Prefeitura e parceiros. A participação dos moradores é importante, principalmente no sentido de eliminar os focos de proliferação do mosquito”, disse Grace Bastos, coordenadora do Coordenação de Controle de Vetores (CCV).

 

“Durante toda a semana os agentes de saúde da Unidade do Beira Rio, realizaram um trabalho na região, orientando os moradores para que retirassem de seus imóveis, todo material que não utiliza mais, colocando na calçada, para ser coletado pelas equipes da Prefeitura. Hoje, estamos visitando os imóveis, conversando com os proprietários e fazendo as orientações adequadas. Ao mesmo tempo, estamos retirando o lixo”, disse Grace.

 

O trabalho está sendo desenvolvido por 30 militares do Exército, que participaram de uma capacitação esta semana com foco na dengue, chikungunya e zika vírus, doenças transmitidas pelo Aedes; além de 12 agentes de endemias, 12 agentes comunitários de saúde; três técnicas do CRAS, todos com apoio de caminhões da Secretaria de Infraestrutura, carro de som disponibilizado pelo Quadri.

 

“Além de solicitar aos moradores para fazer uma ‘faxina’ em suas casas colocando tudo na calçada, estamos também fazendo uma visita aos imóveis. Se encontrarmos focos, o proprietário é notificado, damos um prazo para ele proceder a limpeza e, se não o fizer, acaba sendo multado por colocar a saúde público em risco”, disse Grace Bastos.

 

E não são apenas os imóveis que estão recebendo visitas das equipes. Esta manhã, por exemplo, o grupo vistoriou uma estrutura de um barco inacabado às margens do Rio Paraguai, que está cheio de água de chuva. A equipe conversou com o proprietário que estava no local, orientando-o para que leve embarcação para um estaleiro.

 

mutirãoNo Beira Rio, moradores participam de ação e fazem limpeza de seus quintais

 

População atende

 

Antes de iniciar a ação, os moradores já estavam se movimentando e fazendo o dever de casa. Na Ladeira Dona Emília, Eder dos Santos acordou cedo para limpar o quintal e colocar tudo na calçada. “E uma ação importante e a gente tem que fazer a limpeza de casa para evitar doenças”, disse enquanto descia a escadaria com as mãos cheias. “Minha esposa teve dengue em 2014 e não queremos que isto se repita agora”, completou.

 

O vizinho também estava atento. André Luiz Souza de Jesus foi outro morador que ‘arregaçou’ as mangas e, junto com Theodomiro dos Santos Leite, fez uma limpeza no quintal. A esposa de André teve dengue no ano passado. “Sem dengue agora. Por isso estamos limpando tudo”, comentou.

 

E o bairro todo se movimentou. Aline Silva, moradora na Manoel Cavassa, disse que ontem, quinta, ele iniciou a limpeza de casa. “Coloquei hoje na calçada para que seja retirado. É bom fazer isso sempre pra ninguém pegar dengue”.

 

mutirão

Estrutura de uma embarcação com água de chuva preocupa moradores do bairro