Chuvas atrapalham serviços de manutenção de vias em Corumbá

As constantes chuvas que caem na cidade estão atrapalhando sensivelmente os serviços de manutenção das vias pavimentadas e não pavimentadas, localizadas na área urbana de Corumbá. Esta semana, por exemplo, as equipes responsáveis trabalharam somente na quarta-feira, 134, quando melhoraram as condições de trafegabilidade da Rua Geraldino Martins de Barros (antiga Oriental), entre a Porto Carreiro e General Dutra, e o cruzamento da Cáceres com a Hélio Benzi, no Centro América.

 

“Estamos com um cronograma para executar, tanto na área central da cidade como na parte alta, mas as chuvas dificultam a realização dos serviços necessários. Esta semana, por exemplo, conseguimos atender somente dois trechos. E não são somente as ruas pavimentadas, as ruas sem pavimentos também precisam ser recuperadas, mas com as chuvas, torna-se difícil realizar qualquer intervenção”, disse o secretário de Infraestrutura e Serviços Públicos, engenheiro Gerson da Costa Melo.

 

Pelo cronograma, uma das equipes está responsável pela manutenção do pavimento na região central da cidade. A outra atende a parte alta. “Somente este serviço na Geraldino Martins de Barros e o da travessa da Cáceres com a Hélio Benzi foram feitos, isto após um dia sem chuva. Não há como recuperar pavimento com chuva”, disse.

 

O secretário explicou que, diante das constantes chuvas, está sendo realizado um trabalho emergencial que é a colocação de um material utilizado para fazer a base de vias quando são pavimentadas, acrescido de cimento. “É um material utilizado em bases de pavimento, uma alternativa para amenizar o problema até que tenhamos condições de realizar o serviço, com a utilização do asfalto”, comentou.

 

Trabalho constante

 

Outra informação é que estas ações são constantes e se fazem necessária dada a precariedade em que se encontra o pavimento em diversas ruas de Corumbá, devido ao tempo de utilização do asfalto, o período de chuva que tem contribuído para a deterioração do rolamento.

 

O secretário adianta que muitas ruas existentes na área urbana já não suportam mais operações de manutenção, os chamados “tapa buracos”. Porém, a Prefeitura está atuando na melhoria emergencial para melhorar as condições de tráfego nos chamados corredores viários, que recebem um maior fluxo de veículos até o final do período de chuvas. A partir disso, será executado um trabalho planejado de requalificação das vias.

 

Levantamento realizado pela Secretaria de Infraestrutura mostra que Corumbá possui cerca de 70% de suas ruas pavimentadas comprometidas devido ao tempo de vida útil do asfalto já ultrapassado, aliado a falta de manutenção nas gestões anteriores e ainda a inúmeras intervenções na implantação das redes de esgotamento sanitário, de responsabilidade da Sanesul.

 

Corumbá tem em torno de 1.600 quadras na área urbana. Dessas, 1.100 são pavimentadas e 500 não. O levantamento foi feito no início da atual administração e mostrou na época que dois terços dessas ruas estavam com a vida útil vencida, com uma idade média de mais de 25 anos sem terem passado por um processo de conservação, que seria o recapeamento para aumentar a vida útil desses pavimentos.

 

A atual situação econômica do país e a queda de arrecadação dos municípios, dificultaram ainda mais os investimentos em infraestrutura asfáltica na cidade. “Mesmo com a queda na arrecadação, o município conseguiu, com muito esforço, fazer investimentos como no caso das 77 quadras recapeadas com Concreto Betuminoso Usinado a Quente em 2014. Tudo foi feito com recursos próprios. Além disso, executamos serviços de drenagem de diversas ruas. Podemos ver que problemas de muitos bairros, em relação às inundações que ocorriam em períodos de chuva, foram solucionados”, lembrou Gerson.