Oficina de Dança encerra ano e encanta público com duas apresentações

Quem teve a oportunidade de assistir as duas apresentações que marcaram o encerramento do ano da Oficina de Dança do Pantanal, não se arrependeu. Foram duas noites de muita movimentação no palco do renovado ginásio Lucílio de Medeiros, no Complexo Poliesportivo de Corumbá, que mostrou ser um espaço de múltiplas atividades, voltado não só para o esporte, mas também para outras áreas, entre elas a cultural.

 

E este ano a Oficina inovou. Nas duas noites de espetáculos, os bailarinos mostraram um pouco do trabalho desenvolvido ao longo dos 16 anos em que a instituição mantida pela Prefeitura, por meio da Fundação de Cultura de Corumbá, desenvolve na cidade.

 

O público presente se surpreendeu com as apresentações, tanto no sábado, com o espetáculo infantil, como no domingo, com os adultos. “Não é porque minhas sobrinhas que se apresentaram, achei lindo os dois espetáculos, que mostraram toda criatividade e gingado que essas crianças tem”, disse Regina Souza, tia de duas meninas que se apresentaram no sábado e no domingo.

 

E as duas apresentações no ginásio do Complexo Poliesportivo de Corumbá foi um pedido do prefeito Paulo Duarte. “A reconstrução do complexo poliesportivo foi uma obra importante para a cidade. A realização desses espetáculos demonstrou que o poli é, realmente, um espaço multiuso e que pode receber muito bem as pessoas que vieram aqui”, celebrou, lembrando que foram três noites de intensa movimentação, mostrado que a cidade tem um novo espaço para grandes eventos culturais.

 

Ele se referiu ao Concerto de Santa Cecília na sexta, que teve como atrações a banda Manoel Florêncio, da Academia Municipal de Música, além do Coral Cidade Branca, do Coral Infantil da Academia e do Coral Jubilosos de Sião; e aos dois espetáculos da Oficina. Na sua opinião, tudo isto mostra que “a prefeitura tem investido na cultura e isso é algo que, nesse momento de crise, mostra a sensibilidade da administração em olhar para as pessoas”.

 

“A gente viu aqui crianças, adultos, pessoas de todas as idades, pais, mães e alunos dançando e prestigiando o evento. Em momento de crise, a primeira coisa que se faz é acabar com esses tipos de investimentos. Aqui em Corumbá não. Nós estamos fortalecendo a arte e a cultura corumbaense”, explicou. “Inclusive, no ano que vem, a Oficina de Dança vai ganhar sede própria, uniforme”, continuou, finalizando que, mais juma vez, teve a oportunidade de assistir a grandes espetáculos.

 

O diretor-presidente da Fundação de Cultura e coordenador da Oficina, Joílson da Silva Cruz, disse que a decisão do prefeito em realizar estes espetáculos no Poli, foi importante. “Nós nos sentimos mais seguros com relação ao clima”.

 

Uma novidade este ano foi a apresentação de alunos da extensão da Oficina no Distrito de Albuquerque. “Essa extensão também foi um marco da administração Paulo Duarte que levou o projeto para o distrito, dando oportunidade a todos que residem lá. E a prova que isso está dando certo foram as duas apresentações dos alunos e uma das mães que também foram brilhantes”, concluiu Joílson.

 

A Oficina de Dança é um projeto mantido pela Prefeitura Municipal de Corumbá, por meio da Fundação de Cultura, o projeto tem 16 anos de atividades, e já se tornou referência na dança dentro de Mato Grosso do Sul. Hoje atende 620 crianças e adolescentes com aulas de dança em variados estilos.