Corumbá ganha dois prêmios por boas práticas de gestão do turismo

As ideias são simples, o custo é baixo, os resultados são animadores e eficientes. Esta é a receita das duas boas práticas de gestão do Turismo de Corumbá premiadas na quarta-feira, 9, em Brasília, pelo Ministério do Turismo com o Sebrae, durante o anúncio do prêmio de competitividade do turismo brasileiro.

 

Os projetos foram mapeados durante a avaliação dos 65 destinos brasileiros pelos pesquisadores da Fundação Getúlio Vargas. “A ideia é que sirvam de inspiração para destinos que desejam se tornar mais competitivos”, afirmou o ministro do Turismo, Henrique Eduardo Alves. “Elas têm ajudado a trilhar um caminho promissor para o desenvolvimento do turismo”, disse.

 

O Destino Corumbá foi premiado pelo Gerenciamento do Centro de Convenções, a partir da Cooperação Mútua entre a Fundação de Turismo do Pantanal e a FECOMÉRCIO/MS – SESC que resultou na maior atratividade na oferta turística do destino e sustentabilidade socioeconômica do espaço.

 

Para Prefeito Paulo Duarte, além de cumprir com sua função inicial de recepção de eventos, o local aderiu à missão do SESC de “contribuir para o desenvolvimento humano e a qualidade de vida dos empregados do comércio de bens, serviços e turismo, seus familiares e por extensão a sociedade, promovendo acesso com qualidade a experiências, informações e ações nas áreas de cultura, saúde, esporte, turismo e educação” explicou.

 

A segunda boa prática premiada foi o Observatório de Turismo do Pantanal, criado em 2013, com a finalidade de gerar informações dirigidas aos profissionais, especialistas, acadêmicos, agentes públicos e privados, nas tomadas decisórias com propósito de conhecimento, aprimoramento e desenvolvimento do setor turístico na cidade de Corumbá.

 

“O objetivo é permear e auxiliar na tomada de decisões no âmbito político e empresarial, ao se tratar de investimentos, já que serão coletados números importantes da atividade turística no município”, diz Hélènemarie Dias Fernandes, diretora-presidente da Fundação de Turismo do Pantanal. “A partir desses dados, Corumbá pôde montar uma estrutura organizacional mais eficiente e se preparar para receber cada vez melhor o turista”, acrescentou.