LIRAa aponta incidência de infestação do Aedes aegypti de 1,2% na cidade

Corumbá registrou um índice de infestação de infestação do mosquito Aedes aegypti de 1,2%, um pouco acima do aceitável pelo Ministério da Saúde que é de até 1%. É o que registrou o Levantamento de Índice Rápido do Aedes aegypti (LIRAa) realizado na semana passada na área urbana de Corumbá, importante para direcionar as ações por parte das equipes da Secretaria de Saúde da Prefeitura, contra a dengue e a chikungunya.

 

O levantamento foi realizado pela equipe de agentes de endemias da Secretaria de Saúde que, mais uma vez, detectou uma realidade nada agradável: a maior parte dos focos do mosquito está no interior dos imóveis habitados. Para se ter uma ideia, 89,47% das larvas foram encontradas em depósitos de água localizados ao nível de solo.

 

O levantamento foi feito por regiões. No setor 1, somente o centro da cidade (1) apresentou foco, 0,48%. Nos demais bairos, Arthur Marinho, Cervejaria, Dom Bosco e Generoso, não foram encontrados focos do mosquito.

 

No setor 2, o Universitário apresentou incidência de infestação de 3,08%; o Maria Leite de 0,79%, e o Centro 2 de 0,61%. Beira Rio, Industrial e Previsul não apresentaram focos.

 

No setor 3, o Guató foi o bairro que mais apresentou focos com 4,40%, seguido da Popular Velha com 1,23%, e Cristo Redentor com 0,69%. Centro América e Nossa Senhora de Fátima não apresentaram focos.

 

Já o setor 4, o Aeroporto foi o que mais apresentou focos da doença com 3.09%. Em seguida apareceu a Popular Nova com 2,41%, a Nova Corumbá com 1,67%, e o Jardim dos Estados com 1,56%. O Guarani não registrou focos.