Dia D contra a Dengue começa com caminhada educativa no Popular Velha

O Dia D de Combate a Dengue, Chikungunya e a Zika Vírus começou com uma caminhada educativa realizada pelos alunos da Escola Estadual Otacílio Faustino da Silva, professores da Fundação de Esportes de Corumbá (FUNEC), Grupo de Desbravadores, além dos agentes de vetores da vigilância epidemiológica.

 

O coordenador do Octacílio Faustino, Paulo Cesar de Souza, agradeceu o apoio dos diretores da unidade escolar, Antônio e Noélia, por acreditarem na proposta de desenvolver esse projeto de conscientização com todos os alunos do período matutino.

 

“Faz seis anos que realizo essa ação, mobilizando a comunidade escolar junto com os moradores para combater a dengue, a chikungunya e zika. Hoje estão participando os 450 alunos do período matutino, que farão o trabalho de conscientização junto com a nossa comunidade. Infelizmente, às vezes falta sensibilidade das pessoas, porque muitos não limpam a sua casa e não adianta você fazer a sua parte se o seu vizinho tem um criadouro do mosquito”, comentou.

 

“Por isso queremos que todos falem a mesma língua e mantenham a sua casa e o seu terreno limpos para que não venhamos a sofrer depois com alguma dessas doenças”, concluiu. A coordenadora municipal de Controle de Vetores, Grace Bastos, lembrou da importância dos alunos estarem envolvidos nessa ação, afinal o bairro está em quarto lugar com maior índice de infestação do mosquito.

 

“Aqui temos em torno de 4% de larvas do mosquito da dengue, ou seja, está quatro vezes acima do aceitável pelo Ministério da Saúde, que é de 1%. Mas isso não é por falta da visita dos agentes de endemias que realizam um trabalho rotineiro de, a cada dois meses, estarem aqui no bairro. Agora a nossa ideia é que as crianças atuem na escola e em casa, para ver se conseguimos sensibilizar as pessoas, fazer com que elas saiam da sua zona de conforto e dediquem apenas 10 minutos do seu dia para verificar a sua casa”, explicou Grace.

 

Ainda segundo Grace, esse cuidado com a nossa residência é muito importante. “Nós achamos que o mosquito vai nos picar na rua, mas não. Ele prefere ficar dentro de casa num local fresco, onde tem água e alimentos. Agora nos locais abertos, como o quintal e a rua, nós podemos achar a larva do mosquito que fica empoçada nos ralos, em vasilhames ou em garrafas, por isso temos que cuidar da parte de fora e de dentro da nossa casa”, explicou a coordenadora municipal, lembrando que o local preferido pelo mosquito são as pernas, principalmente a batata da perna, e as costas.

 

A estudante Janaina Santos Silveira, de 10 anos, já sabe o que deve fazer para se prevenir contra a dengue e as outras doenças. “A gente tem que cuidar da nossa casa, limpar o nosso quintal não deixando água parada, jogar o lixo sempre na lixeira, mas isso precisa ser feito por todos porque de nada adianta só uma pessoa fazer porque o mosquito do vizinho pode vir parar na minha casa e ele é muito perigoso e pode matar”, disse Janaina.