Aluno da Reme se emociona ao jogar futebol pela primeira vez na vida

Jeanderson Marques Morrone, de 13 anos, realizou um de seus sonhos na manhã desta quarta-feira, 4 de novembro. O aluno do 8º ano da Escola Municipal Isabel Corrêa de Oliveira jogou futebol com seus colegas de sala pela primeira vez na vida. Deficiente visual desde que nasceu, o adolescente motivou um projeto educacional diferente na unidade de ensino.

 

“Neste semestre, os alunos ficaram um tempo vendados para experimentar a sensação de não enxergar nada. Isso acabou provocando uma mudança muito grande em toda a turma”, afirmou o professor de Educação Física, Dinarte Nathan Santos Mendonça. A partir desse trabalho a amizade e o companheirismo entre os estudantes só aumentou.

 

“Hoje eles tem um relacionamento muito mais próximo. Todos ajudam o Jeanderson nas tarefas que ele precisa de algum apoio”, continuou Dinarte. Eva Morrone, mãe de Jaenderson, também percebeu a mudança. “Eu acompanho ele desde que começou a estudar. A primeira professora dele, inclusive, foi a Ecila, que hoje é diretora aqui do Isabel”, contou.

 

“Antes era bem mais difícil essa interação. Até a 6ª série ele tinha bastante dificuldade, depois começou a se soltar, a compreender mais. Hoje ele pede pra ficar sozinho na escola, quer o espaço dele, está muito mais independente”, continuou. E junto com essa liberdade veio o desejo de realizar um de seus maiores sonhos.

 

“Ele sempre quis jogar bola, sempre falou muito disso. Na hora que ele vestiu a camisa de jogo até chorou de felicidade”, relatou Eva. A estreia de Jeanderson nas quadras também foi acompanhada de perto pelo pai Ronaldo. “É uma grande emoção”, resumiu o morador do bairro Nossa Senhora de Fátima, que transmitiu ao filho o amor pelo Corinthians.

 

“Eu sou Campeão Brasileiro, eu sou Timão”, respondeu o adolescente quando perguntado sobre o time de coração. “Sou muito fã no Messi. É o melhor do mundo. Aqui no Brasil, o melhor mesmo é o Elias (meio campo do Corinthians)”, continuou. Contagiado pela alegria e pelo clima festivo, ele incorporou o verdadeiro espírito boleiro para agradecer pela vitória na partida desta quarta.

 

“Quero homenagear toda minha família e dizer que essa vitória é nossa. Quero agradecer também todo o pessoal da escola e dizer que hoje estou me sentindo muito bem, muito feliz”, concluiu Jeanderson. Para que todos tivessem condições de igualdade em quadra, os jogadores ficaram com os olhos vendados.

 

“Foi diferente, não deu para enxergar nada”, disse Wederson Antônio, aluno do 8º ano. “Deu pra sentir a dificuldade que ele tem todo dia, mas também foi legal poder jogar com ele”, completou o estudante.

 

O prefeito Paulo Duarte acompanhou a partida e destacou o trabalho de inclusão realizado na Rede Municipal de Ensino (Reme). “Atualmente são 250 alunos com algum tipo de deficiência intelectual na Reme, e temos diversos projetos e ações trabalhando a inserção dessas crianças e jovens no cotidiano escolar”, pontuou.

 

“E quando formos entregar a quadra do Damy, no Cristo Redentor, vamos ter uma outra partida dessa aqui e com a participação de mais estudantes”, anunciou o prefeito. “Trabalhamos para trazer todos os alunos da Reme a participar da escola. Aqui vale destacar ainda o papel dos outros alunos. Foi um gesto lindo de solidariedade”, avaliou a secretária de Educação, Roseane Limoeiro.

 

A secretária apontou ainda a importância do Centro Multiprofissional de Apoio ao Desenvolvimento Infanto Juvenil (CMADIJ) na inclusão e no desenvolvimento dos alunos com necessidades especiais. “Temos uma equipe multifuncional, com pedagoga, fonoaudióloga e psicopedagoga que trabalham no desenvolvimento desses alunos”, explicou.

 

“Além disso, a Reme dispõe ainda de sete salas multifuncionais onde é feito o apoio no aprendizado no contraturno escolar. Duas vezes por semana um ônibus adaptado busca esses estudantes e os levam até esses locais para terem um apoio escolar”, finalizou Roseane.