Alunos da Eutrópia apresentam projeto “Cartolas, contadores de histórias”

Os alunos da Rede Municipal de Ensino também participam da campanha nacional Dia de Ler. Todo Dia! E na manhã dessa quinta, 01, foi a vez de conhecer o projeto “Cartolas, contadores de história”, um trabalho desenvolvido com os estudantes da Escola Municipal Rural Eutrópia Gomes Pedroso, no assentamento Tamarineiro, que tem permitido aprimorar o saber desses pequenos através da leitura.

 

“A partir da contação de histórias, especialmente os clássicos infantis, identifiquei nos alunos, que antes não gostavam muito de ler, uma certa habilidade na leitura, capacidade de articular ideias e argumentos de forma escrita, se tornando mais reflexivos”, compartilhou o professor Lourival Monteiro de Moraes, que teve grande importância nesse processo de letramento dos estudantes.

 

Sobre o despertar para o projeto de  contação de histórias, Lourival  usou a imaginaçãoe transformou objetos simples em elementos lúdicos dando vida às palavras. “Eles ouviram histórias juntos, descobriram a importância de ler e ouvir contos e aprenderam contar, então, histórias uns para os outros”, lembrou o professor, destacando uma recente visita que os alunos fizeram ao Asilo São José, permitindo uma atividade intergeracional.

 

“Eles não só contaram histórias para os idosos, como ouviram muitas também”, divertiu-se o professor ao relatar a experiência dos alunos. “Acredito que eles fizeram os livros ganharem vida e mexerem com os sentimentos desses velhinhos. Uma oportunidade de incentivar o gosto pela leitura e estreitar lações afetivos”, comentou.

 

Experiências

 

A aluna  Renata da Silva, de 15 anos, compartilhou o que o trabalho de contação de histórias lhe proporcionou. “Eu não gostava muito de ler. Através do “Cartolas”, fui me encantando e dentro de mim foi nascendo a vontade de compartilhar com os também”, disse a estudante. “Hoje, saímos por aí contando histórias e os alunos pequenos adoram ouvir”, relatou a menina, que garante que a partir do interesse pela leitura, aprendeu algumas palavras que antes não conhecia.

 

Outra “Cartola” é a aluna Francisca da Silva, de 12 anos, que percebeu que ao ouvir as histórias contadas pelos alunos do projeto “Cartola, os contadores de histórias”, os alunos menores, do 4º e 5º ano, se tornaram multiplicadores da ação. ” Eles tiveram o interesse de contar para os pais deles e, assim como a gente, querem se tornar contadores de histórias também”, comentou.

 

O projeto “Cartolas, contadores de história” trabalha não apenas a língua portuguesa com os alunos, mas também a espanhola, devido ao grande número de crianças matriculadas na escola, que nasceram no Brasil, mas moram na Bolívia.

 

Mobilização

 

Hoje, 01 de outubro, foi realizada uma mobilização nacional pela leitura, batizada como Dia de Ler. TODO DIA! é bastante simples, porque o que vale é a leitura seja em casa, no escritório, na praça, na sala de aula, no transporte público. Também vale ler livros, revistas, gibis, bula de remédio, porque o que conta é o ato de ler.

 

Uma disputa saudável, que objetiva incentivar a leitura e mostrar o quanto ela é benéfica, já que aumenta o poder de discurso, aumenta o vocabulário, facilita a escrita e o entendimento e pode ainda ser classificada como lazer, pois os livros abrem portas para o mundo do conhecimento e da fantasia.