Em encontro, prefeito pede aproximação acadêmica do Poder Público

O prefeito de Corumbá, Paulo Duarte, foi um dos convidados para a abertura do Encontro Regional de Administração do Pantanal, evento que marca os 50 anos da regulamentação da profissão do Administrador. Reunindo profissionais e acadêmicos de três instituições de ensino superior que oferecem o curso na cidade, o evento segue até o dia 11 de setembro.

 

A abertura aconteceu no auditório do Campus do Pantanal, unidade da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul em Corumbá, onde Duarte, que é economista por formação acadêmica, falou para o público.

 

“O trabalho do administrador sempre foi e sempre será muito importante, principalmente, em momentos que vivemos hoje no mundo e quem não tem capacidade de planejar, de gerir o macro e o micro, seja no setor privado ou na função pública, está fadado em função do altíssimo nível de concorrência, ao insucesso”, disse.

 

Para o prefeito, o conhecimento técnico é primordial para uma gestão eficiente, seja ela em âmbito particular ou público, porém principalmente neste último, onde os recursos precisam ser aplicados de forma a garantir o bem-estar da coletividade.

 

“Hoje em dia não se administra, uma cidade, um Estado e um país se não houver pessoas qualificadas. Não existe possibilidade de sucesso se não há pessoas com capacidade de gerenciamento, técnica e de administrar. Eu sempre digo: estou político, mas minha origem é técnica, sou um administrador público que preciso gerir uma cidade. Se não tiver essa capacidade, tenho que me cerca de pessoas que tenham para tomar as decisões corretas que seja melhor para cidade numa visão de médio e longo prazo, não apenas de caráter político”, afirmou.

 

Durante seu discurso, Paulo Duarte aproveitou a visita ao ambiente acadêmico para propor maior interação entre esse espaço e o Poder Público. O prefeito destacou como exemplo a aplicação de pesquisas realizadas durante os grandes eventos na cidade e citou o Carnaval deste ano quando foram empregados quase 2,5 milhões de reais para a realização da festa popular que teve um retorno aproximado de 11 milhões de reais na economia local.

 

“Administrar é tomar decisões a todo o instante e elas precisam ter base técnica. A gente precisa cada vez mais fortalecer as nossas universidades, ter essa aproximação da Academia do Poder Público, nós temos feito várias parcerias que tem nos ajudado em alguns tabus ser quebrados, por exemplo, ao tomarmos decisões com base no empirismo. A gente precisa intensificar essa relação, participar de debates, ouvir críticas, sugestões e não há nada, um lugar mais rico do que a universidade”, afirmou.

 

A abertura seguiu com as palestras do presidente do Conselho Federal de Administração, Sebastião de Mello e do gerente de operações da Vale, Olemar Lopes, explanará sobre Gestão Empresarial.