Comitê reforça ações de combate à dengue e chikungunya em Corumbá

Com o intuito de acompanhar e avaliar as ações que vem sendo desenvolvidas desde a criação em março deste ano, o Comitê Corumbá Mais Bela e Saudável se reuniu na tarde desta terça-feira, 22 de setembro, para reforçar as estratégias de combate à dengue e Chikungunya, doenças que compartilham o mesmo vetor de transmissão, o mosquito Aedes Aegypti.

 

Instituído por decreto assinado pelo prefeito Paulo Duarte, o Comitê integra forças da Secretaria de Saúde (Vigilância Epidemiológica), da Secretaria de Infraestrutura e Serviços Públicos (Postura) e da Fundação de Meio Ambiente do Pantanal (Educação Ambiental e Fiscalização) num de seus propósitos que é o de desenvolver ações de forma a produzir, com o apoio essencial da comunidade, uma cidade mais saudável a partir da adoção de práticas

 

Na reunião desta tarde, os integrantes do Comitê aproveitaram também para fazer um levantamento de notificações entregues a proprietários de imóveis e terrenos que oferecem condições favoráveis à proliferação do mosquito transmissor das doenças. Em diversos bairros, sempre os agente flagram cenas de lixo, mato alto e fossa d’água exposta. Além disso, uma situação recorrente na cidade contribui e muito para que o trabalho de controle do Aedes Aegypti seja uma tarefa árdua.

 

“Principalmente, na parte alta da cidade, há muita ocorrência de larvas encontradas em reservatórios de água em nível de solo e isso acontece porque as pessoas só têm água na torneira por algumas horas do dia por isso já agendamos uma reunião com a Sanesul, empresa de abastecimento”, informou o presidente do Comitê, Raul Nunes Delgado.

 

Desde que foi instituído o Comitê articulou ações nos bairros: Nova Corumbá, Centro, Centro América, Guarani, Guató, Jardim dos Estados, Popular Velha, Generoso e Nossa Senhora de Fátima, onde ocorreram 603 notificações em imóveis e terrenos que oferecem risco à saúde coletiva.

 

O trabalho segue agora para o bairro Cristo Redentor e depois para o Aeroporto. Após atingir essas localidades, as ações retornarão aos bairros já visitados e, a partir daí, em caso de reincidência, os proprietários sofrerão sanções que incluem multas porém, ao longo do trabalho realizado desde março, alguns donos de terrenos e casas abandonadas foram multados.

 

Com relação à Educação Ambiental, ficou definido que novo material será produzido com informações atuais para ser distribuído à população com orientações gerais para o combate à dengue e Chikungunya.

 

Desde o início do ano já foram registradas 602 notificações, com 22 confirmados em relação à dengue. Já em relação à Chikungunya, a cidade tem 14 notificações e seis foram confirmados, sendo cinco de integrantes de uma mesma família onde se detectou que os casos foram importados da Bolívia.

 

 

O último Levantamento de Índice Rápido do Aedes aegypti (LIRAa) apontou uma incidência de 1,4% de infestação do mosquito na área urbana de Corumbá. O trabalho, mais uma vez, apontou que 91,66% dos focos estão no interior dos imóveis habitados, sendo 83,33% nos depósitos de armazenamento de água ao nível do solo, e 8,33% nos pequenos depósitos móveis (vasos e pratos de plantas, frascos com plantas, bebedouros de animais, entre outros).