Ribeirinhos querem ação imediata para combater assoreamento do Taquari

Os ribeirinhos da região do Paiaguás clamam por uma solução imediata para o assoreamento do rio Taquari. Como já vem ocorrendo há décadas, a erosão e a retirada da vegetação ciliar está acelerando o carreamento natural do rio e está prejudicando a navegabilidade em vários trechos. Em alguns lugares, já é impossível passar até com embarcações pequenas.

 

“A nossa situação nunca esteve tão crítica como está agora”, afirmou Márcio Avelar, morador do Porto Sagrado. “Por isso estamos organizando um abaixo assinado pedindo apoio dos poderes públicos para resolver esse problema”, completou o ribeirinho. O documento foi apresentado durante a 4ª edição de 2015 do Programa Social Povo das Águas.

 

Presente na abertura dos trabalhos, o prefeito Paulo Duarte se solidarizou com o pleito da comunidade e colocou a Prefeitura como parceira dos ribeirinhos. “Só com a união de esforços vamos conseguir resolver esse problema de décadas”, afirmou o chefe do Executivo municipal, que ainda defendeu a participação efetiva dos moradores do Taquari na discussão de alternativas para o rio.

 

“Não adianta uma pessoa que não conhece a região, que não sabe nada sobre o Pantanal, vir aqui e dizer o tem que ser feito. Vocês que vivem o dia a dia dessa localidade, com todas as dificuldades impostas pela distância da zona urbana, precisam e devem ser ouvidos”, completou.

 

Segundo Avelar, moradores tradicionais do Taquari, fazendeiros e proprietários de lanchas de carga estão unidos pelo abaixo assinado. “Já temos os recursos necessários para fazer a dragagem de uma parte do rio. Isso graças a doações de muitas pessoas afetadas por essa situação. Agora estamos lutando para a liberação desse serviço”, explicou.