Prefeito anuncia mais uma obra do PAC e ações para a Saúde e Turismo

Durante sua agenda em Brasília, o prefeito Paulo Duarte recebeu do vice-presidente da República, Michel Temer, a confirmação que os recursos para a execução de mais uma obra do PAC das Cidades Históricas serão liberados pelo Governo Federal. “Estamos autorizados a liberar a licitação do Elevador do Plano Inclinado, uma espécie de bondinho que vai ligar a avenida General Rondon a Travessa Mercúrio, no Porto Geral”, detalhou o chefe do Executivo municipal.

 

Esta será a terceira obra do PAC das Cidades Históricas executada na cidade. As outras são requalificações das praças da Independência e da República. “Temos que ter uma visão de futuro, colocar o turismo como pauta da economia”, complementou o prefeito. Ainda neste sentido, Duarte solicitou ao ministro Eliseu Padilha a autorização para que o voo que hoje faz o trecho Santa Cruz (BOL) – Campo Grande faça escala em Corumbá.

 

“Precisamos que uma autorização especial da ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil) para que isso ocorra. Nesta sexta-feira à tarde vou receber os empresários da empresa Amazonas, que opera nesse trecho, para, juntos, viabilizarmos essa questão tão importante para os turistas e os próprios corumbaenses”, prosseguiu, destacando a importância do visitante boliviano para a economia da região. “Voltou a crescer a quantidade de bolivianos fazendo compras em Corumbá. Historicamente temos uma relação comercial muito forte com a Bolívia”.

 

Acompanhado pelo senador Delcidio do Amaral, o prefeito de Corumbá ainda recebeu a confirmação de que emendas serão liberadas para a área de infraestrutura. “O Governo Federal vai empenhar os R$ 3,3 milhões para conclusão do Centro de Iniciação Esportiva (CIE) que já está em andamento no bairro Guató. Esse é o valor total da obra, ou seja, isso garante a conclusão de mais este importante equipamento para os corumbaenses”, afirmou.

 

Saúde

 

Com o ministro da Saúde, Arthur Chioro, Paulo Duarte tratou de diversos temas, como a construção de uma Unidade Básica de Saúde (UBS) no Conjunto Padre Ernesto Sassida e o funcionamento da UPA do Guató. “O Ministério vai nos ajudar com recursos para construção dessa UBS, mas antes precisamos definir uma área para isso. O espaço sugerido pelo Governo do Estado fica, parte dele, em Ladário, o que inviabiliza legalmente a construção”, explicou o prefeito.

 

Inaugurada em fevereiro deste ano, a UPA foi mantida exclusivamente pela Prefeitura até o mês de junho, quando o Governo Federal passou a oferecer sua contrapartida. “Por mês, investimos na Unidade de Pronto Atendimento R$ 430 mil de recursos próprios do Município. De junho pra cá, o Ministério da Saúde repassa R$ 100 mil. Agora estamos tentando receber o retroativo desse valor de fevereiro até junho”, detalhou o prefeito.

 

“Quando decidimos concluir a UPA e investir em seu aparelhamento, nós priorizamos a saúde da nossa população. Até o final do ano, serão aplicados mais de R$ 4 milhões para manter as portas da Unidade abertas 24 horas por dia e funcionando plenamente. É mais da metade de tudo que arrecadamos com o IPTU neste ano”, explicou.

 

“Estamos trabalhando muito e vamos continuar fazendo isso, buscando novas parcerias com o Governo do Estado, com o Governo Federal e com quem mais quiser contribuir com o desenvolvimento da cidade. Neste momento de crise precisamos ter um controle rigoroso dos recursos públicos e é isso que estamos fazendo”, concluiu o prefeito Paulo Duarte. 

 

Recapeamento

 

As novidades foram anunciadas pelo prefeito durante um encontro com a imprensa corumbaense em seu gabinete. Outra informação é que na semana passada, antes do lançamento do Festival América do Sul Pantanal, em Campo Grande, Paulo se reuniu com o governador Reinaldo Azambuja, oportunidade em que estabeleceram uma nova parceria que vai permitir execução de obras de recapeamento asfáltico de 30 quadras na área urbana da cidade.

 

“Já implantamos um novo asfalto em 70, com recursos próprios, e vamos chegar a 100 agora com este apoio do governador”, disse. “Os serviços serão executados em vias cujo pavimento encontra-se danificado, e que receberam obras da Sanesul, no governo passado, e a recuperação não ocorreu como devia”, explicou.