Painéis que cercam a Independência ganham vida nas mãos de artistas locais

O Jardim da Independência está passando por uma grande obra de requalificação que vai agregar maior conforto, segurança, iluminação, beleza e qualidade de vida a um dos principais monumentos históricos da cidade de Corumbá. As intervenções foram iniciadas em junho e deverão estar concluídas em 2016.

 

Quem passa pela região central da cidade não tem como observar a movimentação no interior da praça. Para que as obras sejam executadas de forma mais segura, foram instalados tapumes em todo o entorno da praça, e só será retirado quando a requalificação for concluída, reservando assim, uma grande surpresa à população.

 

Mas, se não tem como acompanhar os serviços que estão sendo executados no interior do Jardim da Independência, a população corumbaense e os turistas estão se deparando com um novo visual, bastante agradável por sinal, nos últimos dias.

 

Por iniciativa da Fundação de Desenvolvimento Urbano e Patrimônio Histórico (Fuphan), em parceria com a Fundação de Cultura de Corumbá e a Secretaria de Assistência Social e Cidadania (Gerência de Ações para a Juventude), as placas de madeirite que cercam a praça estão ‘ganhando vida’ nas mãos de artistas plásticos da terra.

 

Trata-se do projeto Arte Urbana que está sendo desenvolvido pela Prefeitura, em parceria com os grupos Eterno Arte Crew e Cultura de Rua, além de outros artistas plásticos da cidade como Jamil Canavarros, Rubem Dário, Peninha (Marlene Mourão) e Elino.

 

O projeto foi iniciado na semana passada de forma um pouco tímida, mas ganhou força esta semana com a chegada de mais integrantes do Eterno Arte Crew, do Cultura de Rua e da Peninha. E já está chamando a atenção das pessoas que passam pela Dom Aquino, entre a Frei Mariano e 15 de Novembro.

 

Na tarde de ontem, terça-feira, a diretora-presidente da Fuphan, primeira dama Maria Clara Scardini, visitou o local e ficou entusiasmada com o que viu. “Isto é a mais pura arte urbana. A Prefeitura acertou em cheio em fazer esta parceria com os artistas da terra, responsáveis por esta intervenção urbana que está dando vida ao tapume que cerca a Independência”, observou.

 

Maria Clara ressaltou que é “importante desenvolver um projeto como este e trazer a arte para os espaços públicos. Aqui temos artistas de diferentes estilos e a proposta está sendo muito bem aceita para a população. Vai dar vida a esses painéis que abrigam a nossa principal praça”, ressaltou.

 

Para desenvolver o projeto, a Prefeitura reuniu os dois grupos, Eterno Arte Crew e o Cultura de Rua, além de outros artistas plásticos, que estão sob coordenação da Fundação de Cultura e da Gerência da Juventude, ligada à Secretaria de Assistência Social e Cidadania.

 

Maria informou que o Poder Executivo está fornecendo material e os artistas plásticos, “esta bela arte”. Revelou ainda que já está sendo definida uma data quando “os artistas serão as crianças, estudantes, que virão para cá, orientados por esses profissionais, para expressar a arte delas, falar por meio da arte, um pouco sob preservação do nosso patrimônio. Vamos envolver as crianças, fazer com que elas sintam que o espaço é delas também”, comentou.

 

Maria Clara, que estava acompanhada do gerente da Juventude, Jonathan França da Cruz, conversou bastante com os artistas e fez um pedido à população em geral: ajudar a preservar, conservar o trabalho que está sendo desenvolvido pelos artistas da terra.

 

Arte Urbana

Peninha com Maria Clara: uma forma de expressar a arte, e mostrar que é preciso preservar o nosso patrimônio (Foto: Kleverton Velasques)

 

União

 

O projeto em desenvolvimento no entorno do Jardim da Independência está unindo ainda mais os artistas plásticos da cidade. São pessoas que desenvolvem sua arte nos mais diferentes estilos, utilizando pincel e tinta a óleo, o grafite, entre outros.

 

É o caso de Helker Hernany, o Primo, grafiteiro do Eterno Arte Crew. Ele é responsável por um painel que retrata uma das maiores riquezas da região, o meio ambiente (Rio Paraguai, o pescador em sua chalana, além de outros detalhes).

 

“Quando conversamos com a equipe da Prefeitura para trazer a nossa arte aqui para a praça, ficou definido que iríamos trabalhar o nosso patrimônio, a nossa maior riqueza. E é isto que estamos fazendo, abrindo mais um espaço para mostrar o nosso patrimônio material, imaterial, a nossa cultura”, disse.

 

Como o próprio Primo informou, o entorno da praça vai mostrar um pouco das belezas da região, o Pantanal, o Rio Paraguai, o pescador, a fauna, a flora, o Casario, São João, Carnaval, enfim, tudo ligado ao patrimônio material e imaterial da  maior cidade pantaneira.

 

Tem também historinhas interessantes. A artista plástica Peninha (Marlene Mourão), por exemplo, está retratando um trecho de uma conversa entre dois personagens de um de seus trabalhos: Mariadadô e Ninito, envolvendo a arte plástica, que é para “se olhar, se admirar”.

 

Enquanto trabalhava em seu painel, Peninha celebrava a realização do projeto. Conforme ela, “está sendo uma oportunidade, uma forma de expressar a arte, e mostrar que é preciso preservar o nosso patrimônio. Mostrar que não se deve pichar, mas sim se expressar por meio da arte”.

 

E a movimentação está chamando a atenção de quem passa na região. Enquanto esperava o ônibus, Gisele Faustino, 28 anos, dizia que “está ficando show de bola”, e que “Corumbá vai ficar mais falada ainda, agora pela sua arte”, previu, já se referindo à divulgação que este trabalho dos artistas plásticos terá.

 

Quem também achou interessante foi Viviane Pereira Bazani, 26 anos. Para ela, a pintura melhora o aspecto do local. E são as formas que estão cobrindo os painéis de madeirite da praça que chamaram a atenção de Nazira Faustino da Conceição, 56 anos. “Tá ficando bonito, bom para a gente desenhar e fazer depois no pano de cozinha e até em toalhas”, relata, lembrando que somente não faz isso agora, devido a um problema de saúde que afetou suas mãos.

 

Jardim da Independência

 

As obras na Independência fazem parte do PAC das Cidades Históricas que está contemplando também a Praça da República, outro monumento histórico de Corumbá, e outros oito projetos também deverão ser iniciados em breve, Serão as revitalizações dos prédios da antiga Prefeitura Municipal, do Hotel Internacional, da Casa do Artesão (antigo presídio), Casarão da Comissão Mista, Instituto Luiz de Albuquerque (ILA), Igreja Nossa Senhora da Candelária, do antigo Mercadão Municipal e da Praça Uruguai que será requalificada, além do projeto de acessibilidade, ligando a parte alta e parte baixa da cidade, no Porto Geral, com implantação de passarela.

 

Arte Urbana

Primo: mais um espaço para mostrar o nosso patrimônio material, imaterial, a nossa cultura (Foto: Kleverton Velasques)