Fegasa: Chefs se impressionam com a capacidade do frigorífico de jacaré

Animal de carne cobiçada, especialmente para quem trabalha com gastronomia, o jacaré foi a principal atração para os chefs que estão participando da quarta edição do Festival de Gastronômico de Corumbá.

 

Na manhã desta sexta-feira, 21, eles visitaram a Fazenda da Caimasul, cerca de 45 km de Corumbá, e ficaram impressionados com a capacidade de produção que o empreendimento já demonstra ter. A parte preferida e que mais gerou perguntas, obviamente, foi o local de criação dos animais.

 

Para o chef Gustavo Helney essa será a grande oportunidade de alavancar, em Mato Grosso do Sul, uma nova variedade gastronômica, já que o Estado é conhecido por muitas pessoas pela oferta de carnes exóticas nos mais variados cardápios.

 

“A demanda existe. Com a possibilidade de adquirir um produto de qualidade, certificado, temos também a certeza de que esse mercado irá crescer, além da oportunidade de trabalhar com a segurança de ofertar um produto de primeira”, argumentou.

 

A Chef Vera Chaves, durante a visita, ficou bastante animada com a possibilidade de ampliar os cardápios culinários com os quais trabalha. Vencedora do Prêmio Dólmã, considerado o Oscar da Gastronomia, na categoria estadual, Vera compartilha da mesma opinião de Gustavo Helney. “A demanda existe, mas é necessária a oferta de produtos de qualidade e que o mercado possa sustentar a crescente procura pela carne de jacaré”.

 

Empreendimento

 

Previsto para entrar em pleno funcionamento já no próximo ano, os donos do empreendimento pretendem, em até 4 anos, ter 250 mil jacarés criados em confinamento, proporcionando 100 mil abates por ano, 300 toneladas de carne e 100 mil toneladas de pele.

 

Além disso, ainda haverá a geração 100 empregos diretos em todo o processo de criação, abate, industrialização e comercialização da carne e couro de jacarés. Outros 220 empregos indiretos devem ser oportunizados pelo empreendimento, inclusive para os ribeirinhos de Corumbá.