Equipe da UPA realiza o segundo parto em menos de dois meses

Profissionais da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) 24 Horas de Corumbá, foram surpreendidos mais uma vez ao perceberem que estavam prestes a realizar um parto, na noite dessa quinta-feira, 28. Com oito centímetros de dilatação e uma gestação de 39 semanas, Débora Monteiro, de 32 anos, moradora do Assentamento Taquaral, deu à luz a um menino de 3,410 quilos e 50 centímetros. Esse é o segundo caso de parto realizado na unidade de saúde.

 

Mãe de outros cinco filhos, Débora chegou à unidade de saúde com perda de líquido amniótico. “Ela deu entrada com fortes contrações. A clinico geral doutora Clélia Magalhães, examinou a gestante e constatou que não haveria tempo suficiente para encaminhá-la para Maternidade naquele momento. O parto precisaria ser aqui mesmo”, relatou a enfermeira de urgência e emergência Juciane Teixeira de Souza Silva, que também participou do atendimento.

 

O episódio mobilizou boa parte da equipe que estava de plantão naquela noite. Uma sala da unidade foi preparada para receber mãe e bebê. “Por se tratar de um atendimento de urgência e emergência, a equipe precisa estar preparada para qualquer situação”, comentou a enfermeira Juciane, destacando que a motivação maior do seu trabalho, é lutar pela vida. “Aqui a gente trabalha com muito amor. Foi algo muito emocionante, poder ajudar e ver que tudo ocorreu da melhor forma possível, respeitando mãe e filho”, completou.

 

Sem um nome definido por enquanto, o bebê nasceu saudável e passa bem. Logo após o parto, foi acionada uma ambulância do Samu e mãe e filho foram transferidos para Maternidade, para receberem mais cuidados. Apesar da correria e susto, Débora agradeceu a equipe que prestou os primeiros atendimentos. “Estou muito feliz em saber que está tudo bem com o meu bebê. Agradeço primeiramente a Deus e a equipe do UPA, que nos socorreu com tanto carinho”, relatou.

 

Primeiro caso

 

Esse não foi o primeiro parto realizado pela Unidade de Pronto Atendimento (UPA) 24 Horas. No dia 10 de julho, uma mulher chegou à unidade de saúde com fortes dores e princípio de aborto. “Era um parto pélvico, já conseguíamos enxergar o pezinho do bebê saindo. Ele nasceu prematuro e pesando 1kg”, disse a enfermeira Juciane.“Nós reanimamos com sucesso, encaminhamos para maternidade, e após um mês internado, na semana passada o bebê recebeu alta”, comentou. “É uma linda que chamamos de “Menininha da UPA”, lembrou.