Encontro aponta tema que deve dominar discussão sobre Mobilidade Urbana

Representantes de diversos setores da Prefeitura Municipal de Corumbá e consultores da empresa Risco, contratada pela Votorantim Cimentos, para auxiliar o município na elaboração do Plano Municipal de Mobilidade Urbana e Rural de Corumbá, estiveram reunidos na manhã desta terça-feira, 04 de julho.

 

A reunião foi coordenada pela diretora-presidente da Fundação de Desenvolvimento Urbano e Patrimônio Histórico (Fuphan), Maria Clara Scardini, e teve como objetivo acertar os últimos detalhes para a 1ª Conferência Municipal de Mobilidade Urbana e Rural de Corumbá que visa a elaboração do Plano Municipal do setor.

 

“Corumbá é uma cidade com um contexto muito particular onde todos os modais de mobilidade estão presentes, desde o avião ao trajeto a pé. É uma cidade em situação de fronteira que apresenta conurbação impondo uma complexidade muito grande de ser trabalhada. Corumbá tem pouco mais de 100 mil habitantes e, no país, cidades com esse contexto tiveram nos últimos anos uma explosão na frota de veículos e motocicletas, o que vir a ser um grande problema, então o município está num momento mais adequado para fazer esse planejamento”, avaliou o arquiteto e urbanista, André Costa, da Risco Consultoria.

 

Entre pontos elencados, estiveram a defasagem do Anel Viário, o transporte de cargas pela área central, ciclovias, transporte aquaviário e, aquele que, de acordo com diretora-presidente da Fundação de Desenvolvimento Urbano e Patrimônio Histórico (Fuphan), Maria Clara Scardini, é o grande desafio do município.

 

“Todo nosso comércio acontece na área central que está inchada. Hoje, temos um desafio muito grande que é trabalhar com essa descentralização. Nós planejamos toda a cidade dentro dessa proposta, se olharmos a divisão geográfica hoje, a parte alta hoje é muito mais populosa do que do trilho para baixo. O que as pessoas consideram o Centro, com o crescimento dos últimos anos, já consideramos a parte em torno do trilho ferroviário como Centro”, expôs.

 

A Lei 12.587/2012, que institui as diretrizes da Política Nacional de Mobilidade Urbana, determina aos municípios o desenvolvimento de Planos de Mobilidade Urbana. O texto de lei busca a integração entre os diferentes modos de transporte e também a melhoria da acessibilidade e mobilidade das pessoas e cargas nos municípios. É necessário que as prefeituras cumpram a medida para que não fiquem impedidos de receber recursos orçamentários federais destinados à mobilidade urbana

 

Entre as várias etapas de elaboração do documento, está a realização de várias conferências. A primeira está marcada para acontecer nesta quinta-feira, 06 de agosto,  a partir das 18h30, no auditório do Sindicato Rural de Corumbá.

 

A participação na Conferência é aberta a toda população. Durante o evento, também iniciado o debate para a formação do grupo de trabalho que será composto por representantes do governo municipal e da sociedade civil organizada, tendo como responsabilidade acompanhar, contribuir, avaliar e aprovar o Plano.

 

“É muito interessante que todos participem porque sua forma de deslocar é uma informação importante porque todos se deslocam ao ir para o trabalho, levar o filho na escola, ao mercado, enfim, várias atividades do cotidiano”, destacou Maria Clara que comentou que há um prazo de 10 meses para a conclusão do documento que apontará diretrizes do setor para o município a longo prazo.

 

Além da Fuhpan, os outros setores da Administração Municipal que participaram da reunião foram: a Agetrat (Agência Municipal de Trânsito e Transporte) , Secretaria de Infraestrutura e Serviços Públicos, do Conselho das Cidades  e da Fundação de Meio Ambiente Pantanal.