Em conferência, Corumbá discute seu Plano de Mobilidade Urbana e Rural

A Prefeitura Municipal de Corumbá, por meio da Fundação de Desenvolvimento Urbano e Patrimônio Histórico (Fuphan), inicia nesta quinta-feira, 06, o processo para elaboração do Plano Municipal de Mobilidade Urbana e Rural de Corumbá.

 

Com a presença do Programa de Apoio à Gestão Pública, projeto da Votorantim Cimentos, em parceria com Instituto Votorantim e o BNDES, foi contratada uma consultoria para desenvolvimento dos trabalhos que envolvem, entre suas várias etapas, a participação efetiva da população através de conferências, cuja primeira delas ocorre nesta quinta, a partir das 18h30, no auditório do Sindicato Rural de Corumbá.

 

De acordo com Maria Clara Scardini, diretora-presidente da Fuhpan, a elaboração do Plano é de extrema importância porque condiciona, além do planejamento da cidade, o recebimento de recursos federais voltados para o setor. A Lei 12.587/2012, que institui as diretrizes da Política Nacional de Mobilidade Urbana, determina aos municípios o desenvolvimento de Planos de Mobilidade Urbana. O texto de lei busca a integração entre os diferentes modos de transporte e também a melhoria da acessibilidade e mobilidade das pessoas e cargas nos municípios.

 

“A partir deste ano, não podemos celebrar nenhum convênio com o Governo Federal se não tivermos o Plano de Mobilidade. Outro fator é que ele vai contemplar diretrizes que vamos estabelecer para nossa cidade por no máximo 10 anos em todos os assuntos que podemos pensar no ir e vir. Quando falamos em mobilidade falamos nas pessoas quem andam a pé, nas que usam veículos não motorizados como bicicletas, patins, skates, e também nas que utilizam transporte público, veículos particulares, transporte de cargas e demais”, explicou.

 

A participação na Conferência é aberta a toda população. Durante o evento, também iniciado o debate para a formação do grupo de trabalho que será composto por representantes do governo municipal e da sociedade civil organizada, tendo como responsabilidade acompanhar, contribuir, avaliar e aprovar o Plano.

 

“É muito interessante que todos participem porque sua forma de deslocar é uma informação importante porque todos se deslocam ao ir para o trabalho, levar o filho na escola, ao mercado, enfim, várias atividades do cotidiano”, destacou Maria Clara que comentou que há um prazo de 10 meses para a conclusão do documento.

 

Segundo Maria Clara, dados para a formulação com mais embasamento do Plano já começaram a ser levantados por uma comissão que foi instituída com representantes de vários setores, tanto da parte governamental e não-governamental.

 

“Agora, vamos às vistorias de campo e conversas com as comunidades com a primeira conferência e na demais que ainda serão realizadas até à aprovação do texto final”, comentou.

 

O Plano Municipal de Mobilidade Urbana e Rural de Corumbá é a forma definida na lei para realizar o debate e planejamento sobre diversos aspectos da mobilidade relacionados ao desenvolvimento urbano, ao meio ambiente e à saúde. De acordo com as diretrizes do Plano Nacional de Mobilidade Urbana (Lei nº 12.587/2012), deve fazer parte das políticas municipais mobilidade o planejamento dos deslocamentos de pessoas e cargas, priorizando os pedestres, os meios de transporte não motorizados e o transporte público.