Com obras na Praça da República, pontos de ônibus vão para a Antônio João

Quem nos últimos dias passou pela Rua Antônio João, trecho entre a Delamare e Avenida General Rondon, percebeu algo diferente no lugar. São os pontos de ônibus que foram instalados de forma provisória para atender a população durante a reforma da Praça da República, obra que deve devolver as características originais do espaço público que faz parte da história da cidade de Corumbá.

 

Até a conclusão das obras, que incluem o antigo terminal, o fluxo dos coletivos seguirá o trajeto originário da linha, porém, ao se aproximar da área central, utilizará as ruas Tiradentes (sentido descida), entrará pela Avenida General Rondon até alcançar a Rua Antônio João onde acontecerá a baldeação dos passageiros e o veículo subirá a via para alcançar o itinerário a qual pertence.

 

Como o fluxo dos coletivos deve aumentar nesse trecho, a Agetrat (Agência Municipal de Trânsito e Transporte) já se prepara para alertar os motoristas, segundo comentou seu diretor, Alexandre Vasconcellos.

 

“A Rua Antônio João é uma via com canteiro central e por isso o espaço das pistas é estreito, sendo assim, com esse aumento que teremos dos coletivos, que são veículos de grande porte, já estamos preparando uma sinalização complementar nessa área para que os condutores, de forma geral, possam reduzir a velocidade ao passar por esses trechos”, disse ao falar sobre a medida preventiva.

 

“Vamos perceber como o trânsito irá se comportar com essa mudança temporária e, caso necessário, poderemos fazer algumas alterações no fluxo também de forma temporária”, previu Alexandre.

 

Transtorno temporário

 

Já para os usuários do transporte coletivo, a mudança será mínima, segundo afirmou a diretora-presidente da FUHPAN (Fundação de Desenvolvimento Urbano e Patrimônio Histórico), Maria Clara Scardini. Entretanto ela lembra que as obras do PAC Cidades Históricas, onde estão incluídas prédios e espaços públicos como a Praça da República, trazem um transtorno temporário em contraponto com um benefício a longo prazo.

 

“A gente pede a compreensão da população, sabemos que é um transtorno, mas logo, logo, as linhas de ônibus voltarão a passar novamente pela praça. A população não vai ser prejudicada”, disse ao explicar que o terminal ganhará nova modelagem ao atender uma solicitação do IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional), pois a construção atual prejudica a visualização de um dos principais exemplares da arquitetura histórica corumbaense, o prédio da Casa de Cultura Luiz de Albuquerque.

 

“Vamos demolir porque é uma recomendação do IPHAN, vamos retirar a estrutura que hoje conhecemos, ampliando a praça e criando um espaço para o transporte coletivo em outro formato”, adiantou Scardini ao lembrar ainda que os cerca de 15 feirantes que atuam no terminal passarão para a quadra do Grêmio Recreativo dos Subtenentes e Sargentos localizado ao lado do local onde foram instalados os novos pontos, na Rua Antônio João.

 

“Estamos concluindo alguns reparos para que os feirantes possam ocupar o Grêmio também de forma temporária, e já estamos num diálogo para providenciar um espaço fixo para esse comércio”, afirmou Maria Clara ao reforçar novamente que a população precisa exercitar a compreensão, pois outras obras estão para serem executadas na cidade e, a exemplo desta, também devem gerar transtornos temporários.

 

Mais obras à vista

 

São R$ 19,6 milhões que serão aplicados também nas restaurações do Jardim da Independência, já em andamento, e dos prédios da antiga Prefeitura Municipal, Hotel Internacional, antigo Presídio – Casa do Artesão, Casarão da Comissão Mista, Instituto Luiz de Albuquerque (ILA), Igreja Nossa Senhora da Candelária e do antigo mercadão.

 

Junto com o projeto do Mercadão está a requalificação da Praça do Uruguai, localizada ao lado. Outra obra é a ligação da parte alta e parte baixa da cidade, com implantação de passarela (projeto de acessibilidade) na área central da cidade, com acesso ao Porto Geral.

 

Transporte