Programa de Aquisição de Alimentos muda vida do pequeno produtor rural

O Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) está mudando a vida do pequeno produtor rural da região de Corumbá. Além de incentivar a agricultura familiar e aumentar a renda, está permitindo melhorar a refeição daquelas pessoas em situação de insegurança alimentar, atendidas pelas instituições assistenciais do Município, e também dos alunos da Rede Municipal de Ensino (Reme).

 

Em Corumbá, o PAA é realizado pela Prefeitura Municipal, por meio da Secretaria de Produção Rural, em parceria com o Ministério de Desenvolvimento Social e Combate a Fome do Governo Federal. Este ano o programa foi iniciado no final de junho, quando os pequenos produtores fizeram a entrega de parte do que produzem no campo, à Secretaria de Produção Rural, responsável pelo encaminhamento dos gêneros alimentícios às 45 instituições cadastradas, inclusive escolas da Reme, reforçando a alimentação de mais de 35 mil pessoas.

 

“Este programa está sendo ótimo para nós. Hoje, a gente tem um lugar para entregar o que produzimos”, afirmou Geraldo da Silva Ribeiro, 56 anos, produtor rural do Assentamento Taquaral. “Antes a gente produzia, mas não sabia para quem vender. Levava para a feira e acabava vendendo para o atravessador. Agora não, parte do que a gente produz estamos trazendo direto para cá e estamos atendendo pessoas que realmente precisam, das instituições assistenciais, os alunos que estão comendo produtos frescos, daqui mesmo de Corumbá, não precisando mais vir de fora. O programa melhorou muito a vida do assentado e, hoje, nós temos motivos para comemorar o Dia do Agricultor”, destacou.

 

Geraldo observou bem. Nesta terça-feira, 28 de julho, é celebrado em todo o Brasil, o Dia do Agricultor. E a data foi comemorada pela equipe da Produção Rural que reuniu os pequenos produtores que levaram parte do que produzem no campo à secretaria esta manhã, para lembrar a data. Eles foram recebidos com um café da manhã após a entrega dos gêneros alimentícios.

 

Abandonar tudo

 

Quem também destacou o programa foi Aldevir Batista de Souza, 59 anos, da Agrovila II, no Taquaral. Enquanto descarregava parte do que havia colhido em seu sítio de 15,5 hectares no início da manhã de hoje, ele lembrou que, por pouco não abandonou tudo e foi embora de Corumbá.

 

“Se não fosse este programa eu já teria ido embora da região. Não adiantava produzir, pois não tinha onde entregar”, disse, ressaltando que somente a feira livre não resolvia. “A gente levava a mercadoria, não conseguia vender tudo e voltava com o produto que acaba se estragando. Agora a gente sabe que, se produzir, tem onde entregar e por um preço seguro. É entrega certa”, ressaltou.

 

O pequeno produtor revela que, em seu sítio, ele não usa agrotóxico na lavoura. “É tudo orgânico. Meu filho (Juliano Gonçalves de Souza) é técnico agrícola e, quando está em casa (serve ao Exército Brasileiro em Forte Coimbra), me ajuda na produção. O produto que utilizamos para borrifar a plantação, fabricamos lá mesmo e aplicamos de cinco em cinco dias. Isso garante um alimento de melhor qualidade”, celebrou, revelando que ele e outros produtores da região estão com um projeto engatilhado: criar frango caipira gigante. “Será mais um produto que colocaremos no mercado local”, previu.

 

O coordenador do PAA, Gilberto dos Santos Souza, lembra que este é o segundo ano consecutivo que o programa é desenvolvido na cidade. “Foi retomado na administração do prefeito Paulo Duarte, a pedido dos próprios produtores e, este ano, ampliamos para atender mais produtores e um número maior de pessoas recebendo o alimento. E temos que agradecer aos pequenos produtores pelo sucesso que o programa está alcançado. Sem eles, não chegaríamos ao estágio em que nos encontramos hoje”, disse.

 

Para este ano de 2015, o Município e o Governo Federal estão disponibilizando um total de R$ 713.870,70 que estão sendo revertidos na compra de parte da produção oriunda da agricultura familiar praticada por 195 pequenos produtores. A previsão é, até o final do ano, comprar 383.860 quilos de gêneros alimentícios que estão atendendo 45 instituições, beneficiando mais de 35 mil pessoas.