Povo das Águas atendeu 200 famílias ribeirinhas na parte alta do Pantanal

O Programa Social Povo das Águas atendeu 200 famílias ribeirinhas na parte alta do Pantanal sul-mato-grossense. Em cinco dias de ação, os profissionais da Prefeitura de Corumbá realizam 241 atendimentos médicos e 296 procedimentos de enfermagem. Outras 210 pessoas receberam 426 atendimentos odontológicos e 168 doses de vacinas diversas.

 

A grande maioria dos moradores dessa região sobrevive da pesca e da coleta de iscas vivas. Por isso dores causados pela má postura são comuns. E para amenizar o problema, 82 ribeirinhos receberam atendimento de acupuntura e 192 sessões de fisioterapia. As equipes ainda vacinaram 117 animais contra a raiva e entregaram 278 kits odontológicos

 

Foram realizadas ainda 12 palestras sobre educação em saúde e um atendimento de emergência. Outros 217 acompanhamentos sociais do Programa Bolsa Família foram feitos na parte alta do Pantanal.  Todas as famílias atendidas receberam uma cesta básica para enfrentar o período de cheia do rio.

 

O programa também realiza ações específicas para as crianças, que participaram de teatros, contação de história, entrega de brinquedos e roupas. A Colônia de Pesca Z1 também participou da expedição, a primeira deste ano para esta parte do município. Outras duas viagens serão realizadas para os mesmos locais até o final deste ano.

 

Morador da região do Paraguai Mirim, Ruivaldo Neri relatou que após a sessão de acupuntura, realizada na ação do povo das aguas do ano passado, não sentiu mais as dores intensas na região lombar. Ele aproveita o retornos do Programa para continuar realizando o tratamento, agradecendo bastante o fisioterapeuta por ter aliviado a dor que o impedia de realizar as atividades do campo.

 

“Sentimos alegria pelo atendimento da saúde, pelos medicamentos e sacolão que trazem e isso nos ajuda bastante. Aqui temos muita dificuldade par ir a cidade consultar um médico e o Povo das Águas representa para nós um momento de muita alegria”, afirmou Roseane Farias de Souza, de 26 anos, nascida e criada na região do rio São Lourenço.

 

“Ficamos muito alegres com a vinda do Povo das Águas aqui. Nos ajuda bastante trazendo roupas para as crianças e só temos atendimento médico com a ação. É a única forma de atendimentos que temos. quando temos problema com a pesca e isca, o sacolão ajuda muito a gente”, relatou Maria Rosa Dias, 46 anos, moradora do Porto Novo Horizonte, distante 270 km da área urbana de Corumbá.