Corumbá recebe 2ª etapa da pesquisa de demanda turística internacional

A cidade de Corumbá está recebendo a segunda etapa da Pesquisa de Caracterização e Dimensionamento do Turismo Internacional no Brasil realizada pelo consórcio Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (FIPE) e Fundação Getúlio Vargas (FGV), contratados pelo Ministério do Turismo (MTur), em parceria com a Embratur. Os trabalhos foram iniciados no dia 22 e vão até a próxima terça-feira, 28, e contam com apoio da Prefeitura Municipal, por meio da Fundação de Turismo do Pantanal.

 

O levantamento busca o monitoramento da demanda turística internacional e vai fornecer subsídios para a formulação de políticas públicas, além de definir estratégias de promoção turística do país no exterior, norteando as decisões empresariais do setor.

 

Em Corumbá, a primeira etapa deste ano ocorreu entre os dias 28 de janeiro e 04 de fevereiro, e ocorre na fronteira Corumbá/Brasil-Bolívia, importante portão internacional de entrada de turistas no Brasil, no Pantanal e em Corumbá.

 

“O monitoramento do MTUR nos auxilia a quantificar o turista que cruza a nossa fronteira, o seu perfil, saber qual a sua origem e o seu destino. Essa matriz é fundamental não apenas para traçarmos políticas públicas, mas para sermos mais assertivos na nossa promoção fora do estado de Mato Grosso do Sul e do Pantanal de Corumbá, bem como também atrair investimentos e empresas”, observou a diretora-presidente da Fundação de Turismo do Pantanal, Hélènemarie Dias Fernandes.

 

Através destas pesquisas, o Ministério do Turismo pode identificar que a riqueza da fauna e da flora do Mato Grosso do Sul caiu no gosto dos turistas estrangeiros. No ano passado, o estado recepcionou 61.999 dos visitantes internacionais que vieram ao Brasil, 49,3% a mais que em 2013, de acordo com o Anuário Estatístico de Turismo 2015, do Ministério do Turismo. O Mato Grosso do Sul, que faz fronteira com o Paraguai e a Bolívia, foi o segundo estado que registrou o maior crescimento percentual no número de turistas estrangeiros de 2013 para 2014.

 

O estudo é realizado em duas etapas: perfil e contagem. A pesquisa de perfil tem por objetivo divulgar informações sobre o turismo receptivo internacional a partir de dados coletados nos principais portões de entrada de turistas do Brasil. Ela revela o perfil socioeconômico dos turistas, as características de suas viagens e a avaliação dos estrangeiros que visitam o Brasil sobre os serviços e equipamentos turísticos do Brasil.

 

A pesquisa é aplicada em 26 localidades, entre fronteiras terrestres (Jaguarão, Santana do Livramento, Uruguaiana, São Borja, Corumbá e Ponta Porã, por exemplo) e nos aeroportos internacionais do Brasil. O levantamento de dados conta com 05 pesquisadores, e com o acompanhamento do Observatório de Turismo de Corumbá.

 

Novo modelo

 

O município de Corumbá foi um dos escolhidos pela FIPE por ser considerado o portão de acesso no Brasil que liga toda a América do Sul, além de ser um dos 65 destinos do desenvolvimento turístico. O treinamento piloto aconteceu na sede da Fundação de Turismo do Pantanal no dia 7 deste mês.

 

Além de Corumbá, a aplicação desse novo modelo foi feita também em três aeroportos (São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador), e em alguns municípios do Estado do Paraná, Minas Gerais, Rio Grande do Sul – nas cidades de Foz de Iguaçu, Dionísio e Santana do Livramento, entre outros municípios.