Atividades culturais contemplarão necessidade da comunidade no CEU

Com o Centro de Artes e Esportes Unificados (CEU) construído pela Prefeitura de Corumbá no Jardim dos Estados, a parte alta da cidade passa a ter um ponto de referência das mais diversas vertentes culturais. O espaço foi dotado de vários equipamentos, entre eles, biblioteca, cine teatro e telecentro, que possibilitarão desenvolver ações de formação em distintas frentes culturais.

 

De acordo com a diretora-presidente da Fundação de Cultura de Corumbá, vice-prefeita Márcia Rolon, todas as atividades foram demandadas pela própria comunidade através do Comitê Gestor, fator que deve contribuir para o sucesso das ações que serão reavaliadas constantemente pela autarquia municipal de forma conjunta com os representantes da comunidade local.

 

“Não há em momento algum uma imposição para que isso aconteça, mas sim um pedido da comunidade. Toda essa demanda da Cultura que está sendo alocada no CEU é uma necessidade que o Conselho Gestor apontou, ou seja, a própria comunidade mostrou o caminho. Todos os movimentos que lá acontecerão serão monitorados mensalmente pelo Conselho Gestor durante reuniões”, avisou Rolon ao acreditar que com uma administração participativa os resultados tornam-se mais eficientes.

 

“Nenhuma ação da Cultura vai ser para entretenimento, mas sim voltada para formação, inclusive, na contação de história com a qual a ideia é trazer a comunidade para cursos e que, formados esses contadores, eles passem a ser voluntários na localidade e em outras regiões da cidade”, disse a diretora-presidente ao citar uma das ações que serão desenvolvidas no CEU.

 

Caminhos da Cultura

 

Já desenvolvido no município, o programa “Caminhos da Cultura” faz parte das políticas do executivo municipal de descentralização das atividades culturais, na busca de fomentar a cultura de forma ampla, estimulando a criação, circulação, promoção, difusão, acesso, consumo e memória do povo corumbaense, além de proteger e promover a diversidade cultural.

 

Por isso, o programa foi escolhido para ser o irradiador das ações da Biblioteca, Cinema, Cultura Digital, Academia de Música, Oficina de Teatro, Oficina de Dança e Capoeira. “Vai ser um grande laboratório e, dando certo, podemos ampliar a outras regiões da cidade”, avaliou Márcia Rolon que detalhou cada uma das ações a começar pelo espaço do Cine Teatro.

 

“Hoje, temos três cine clubes instalados na cidade: o do Moinho Cultura, do Muhpan, do Iphan, além das sessões itinerantes do SESC. Assim, vamos ter quatro parceiros dentro da praça e com isso todos os cineclubes que, hoje, não estão em atividade constante, vão criar público”, comentou.

 

O Cine Teatro configura-se como um espaço multiuso e por isso mesmo ensaios teatrais, encontros, rodas de conversa e demais atividades poderão ser agendadas pela comunidade no local que ainda agregará a Oficina de Teatro.

 

Na área musical, Rolon adiantou que se implementará no CEU um braço da Academia de Música voltado para a formação de crianças com idades entre 08 e 10 anos de idade que serão iniciados tanto na parte teórica como prática da música.

 

“As aulas começarão com harmonia e com leitura musical, então todas as crianças entrarão para um instrumento harmônico e coral para só depois identificarem a melhor habilidade. Após um ano desse trabalho de base, os professores da Academia de Música começarão a ministrar aulas para esses alunos. A ideia é ser um núcleo de descoberta de talentos na parte alta da cidade e permitir possibilidade de acesso a nossa Banda Municipal. Isso alimenta a Banda e profissionaliza, queremos inserir esses meninos e meninas na profissionalização dentro e fora da cidade, o que já acontece na Academia de Música hoje”, contou a diretora-presidente da Fundação de Cultura.

 

Nos mesmos moldes da música, devem ser desenvolvidas as ações de dança, entretanto, segundo Márcia, a idade dos participantes pode se estender um pouco mais para englobar os adolescentes. Seguindo a demanda da comunidade, as aulas devem ter como foco o balé.

 

O Telecentro, conforme explicou Márcia, não será um mero espaço para o repasse de informações sobre a forma correta de uso de softwares e navegação na web. “Vai trabalhar a inclusão digital desde crianças até idosos, mas voltado para o empreendedorismo. Serão usadas as mídias e as redes sociais para que as pessoas saibam como buscar emprego ou o sucesso em empreendimento, por exemplo”, comentou.

 

Na Biblioteca, além do acesso a vários títulos, haverá acompanhamento escolar “aos alunos que estiverem desempenhando atividades na música e na dança, ressaltando que não é um reforço, mas um acompanhamento, um monitoramento nas tarefas escolares”, conforme lembrou Rolon que afirmou já haver um profissional da Educação designado para esta função.

 

Márcia frisou ainda que a Cultura alcança outro setor, que é a Assistência Social, uma vez que o artesanato dentro do conceito de economia criativa será desenvolvido.

 

Serviço

 

O Centro de Artes e Esportes Unificados (CEU), construído pela Prefeitura em parceria com o Governo Federal no Jardim dos Estados, será entregue à população nesta sexta-feira, 10 de julho, às 19 horas. O espaço vai atender todos os moradores da cidade, mas principalmente as famílias que residem nos Jardim dos Estados, Jardinzinho, Guarani, Jatobá, Jatobazinho, Conjunto Primavera, Conjunto Piúva e do Conjunto Guanabara.