Artesanato ajuda população em situação de rua a vencer desafios

Moradores em situação de rua que dependiam da boa vontade da população para sobreviver começam viver uma nova realidade. Agora, as mãos que antes eram estendidas para pedir ajuda, estão ocupadas em uma outra função: produzir peças artesanais que que vão gerar renda para que eles possam se sustentar.

 

E o resultado dessa primeira etapa dos trabalhos dessas pessoas que estão sendo atendidas pelo Centro POP (Centro de Referência Especializado para População em Situação de Rua), foi apresentando ao público corumbaense nesta sexta-feira, 31, na 1ª Amostra de Artes, por meio de uma exposição de trabalhos manuais confeccionados pela população de rua.

 

A exposição é uma realização da Prefeitura de Corumbá, por meio da Secretaria de Assistência Social e Cidadania, e as peças são resultados do trabalho do grupo, produzidas na Oficina de Artesanato, um dos projetos do Centro POP.

 

Enxergando no artesanato uma maneira eficaz de tratar o uso compulsivo de álcool e drogas, a professora de artes, Odelta Marisa Lopes, explicou que o primeiro passo e “resgatar a autoestima da população em situação de rua por meio da arteterapia, com a reciclagem de lixo urbano, como pedaço de madeira, garrafa pet, vidros, caixotes, jornais, entre outros utensílios que são descartados”, disse.

 

“O resultado é que você consegue ampliar o repertório de atuação do paciente. Ele, ainda que não tenha talento, descobre que há outras formas menos nocivas de ter prazer”, destacou, acrescentando que os trabalhos desenvolvido nas aulas ministradas nas oficinas, podem gerar renda.

 

É o caso de Junior Eugênio, de 32 anos, que há dois meses frequenta as aulas e já enxerga um futuro promissor. “Aqui é uma instituição que me acolheu com muito amor e carinho, me dando a oportunidade de, quem sabe no futuro, gerar renda, através do meu trabalho, para que eu mude de vida”, declarou.

 

Acompanhamento

 

Uma das psicólogas da instituição, Dalana Kelly, destaca que são realizados estudos e diagnósticos de cada caso para os encaminhamentos necessários dessas pessoas em situação de rua, aproximando, monitorando e possibilitando o início da construção do processo de saída dessa condição para uma nova perspectiva.

 

“Nossa intenção é que eles sejam inseridos novamente no âmbito familiar, no fortalecimento de vínculos interpessoais, que oportunizem a construção de novos projetos de vida”, disse. “Por isso, o tempo todo estamos estimulando e ressaltando a importância do trabalho deles, elogiando e destacando cada avanço, com o objetivo de mudar essa perspectiva”, completou.

 

De acordo com a gerente de Proteção Social Especial da Secretaria de Assistência Social, Renata Papa, o Centro POP realiza atendimento psicossocial, atendimento em grupos, oficinas de artesanato, oficina de redução de danos, atendimento jurídico, encaminhamentos para qualificação profissional, encaminhamento para atendimento na saúde, encaminhamento para retirada de documentação civil, além da abordagem social em vias públicas.

 

“Em Corumbá, só no mês de junho foram atendidas 143 pessoas em situação de rua. Desse total 22 são novos casos, 32 são migrantes. O Centro Pop realizou 19 encontros na oficina de artesanatos e 04 encontros na oficina de redução de danos, além de 274 abordagens sociais”, revelou.