Lojas Americanas chega a Corumbá; inauguração será nesta terça

Marcada para esta terça-feira, 30 de junho, a inauguração da Lojas Americanas, localizada na Rua Delamare, entre a Rua Antônio Maria Coelho e Ladeira Cunha e Cruz, no centro histórico de Corumbá, em um prédio inaugurado em 1917, totalmente revitalizado para manter suas características.

 

A chegada de uma das maiores redes do segmento varejista do Brasil reforça ainda mais a proposta da Prefeitura de Corumbá que tem buscado apoiar o setor produtivo local por entender que se trata de uma das forças motrizes para o desenvolvimento regional.

 

Para tanto, nos últimos dois anos e meio, a Prefeitura, por meio da Secretaria de Indústria e Comércio, tem desenvolvendo ações para melhorar o ambiente de negócios, simplificar processos, promover o dinamismo econômico e a geração de emprego e renda no município, visando dessa forma, garantir não somente o crescimento econômico e social da cidade, como também o seu desenvolvimento.

 

Para tanto, executou ao longo dos anos de 2013, 2014 e 2015, iniciativas junto a parceiros estratégicos a fim de atingir o progresso econômico que a região necessita.

 

O economista Raul Assef Castelão, da Secretaria de Indústria e Comércio, lembra que o ponto de partida foi “estabelecer os marcos legais, os alicerces que dariam espaço para que outras ações fossem realizadas”. O primeiro passo, em 2013, foi atualizar a Lei Complementar 165º, 13 de dezembro de 2013 que dá tratamento tributário diferenciado, favorecido e simplificado, concedido às microempresas e empresas de pequeno porte do município, e a criação da Lei Complementar 160º, 17 de setembro de 2013, que deu origem a Política de Incentivos ao Desenvolvimento Econômico e Social, e criou o Programa Corumbá em Desenvolvimento (CODES), mais conhecida como a Lei de Incentivos Fiscais de Corumbá.

 

Desburocratização

 

Dando sequência a preocupação do prefeito Paulo Duarte em estar ao lado do empresário, a Prefeitura tem buscado inovar e, dessa forma, se tornou a primeira cidade do Estado a contar com projeto de integração na abertura de empresas (Projeto Corumbá Legal – Desburocratização), implementado em parceria com a JUCEMS e o SEBRAE-MS. O programa reduz o tempo na abertura de novas empresas no município. Atualmente, o tempo de abertura que, antes era estimado em 60 dias, passou a ser de até 3 dias úteis.

 

“Com a mudança no cenário e apoio aos empreendedores, desde os pequenos até as grandes empresas, o município vem obtendo resultados significativos para a economia local. Com um ambiente de negócios mais favoráveis, é nítida a evolução da economia local”, salienta o economista.

 

Em 2013 e 2014, Corumbá apresentou os maiores resultados dos últimos 11 anos em se tratando de abertura de empresas. Foram 866 e 742 empresas abertas respectivamente no município.

 

Conforme dados da JUCEMS de 2014, Corumbá abre 2 empresas por dia e a taxa de sobrevivência das empresas locais passou de 90% em 2012 para 92% em 2014, ou seja, as empresas tem conseguido prosperar em nossa região.

 

Outro resultado que comprova que o setor produtivo tem ganhado atenção especial na atual administração é que a taxa de sobrevivência das empresas em Corumbá no último ano (2014), de acordo com dados da JUCEMS, com base nos dados de 2012 e 2013, foi de 92%, resultado 2% melhor do que o registrado em 2012. “Com o aumento da TS, o fechamento ou a mortalidade das empresas no município, diminuiu para 8% na passagem de 2012 para 2014”, relembra.

 

“Analogamente, significa que as empresas locais têm tido condições favoráveis para a produção, oferta de produtos e prestação de serviços, movimento que resulta em um efeito multiplicador na sociedade, pois gera emprego e renda para a região”, comenta Raul Assef. 

 

O resultado, conforme ele, indica que, a cada cem empresas abertas no município, entre 2012 e 2014, aproximadamente 92 sobreviveram aos dois primeiros anos de vida, período este, considerado por especialistas, como uma fase crucial para a continuidade das atividades, uma vez que os riscos nesta fase são maiores e mais complexos.

 

Estes números ficam mais evidentes com a chegada de grandes grupos empresariais para o município como Casas Bahia, Lojas Americanas, Caimasul, o Frigorífico EMA, e as inúmeras franquias que abriram em Corumbá (Subway, Chiquinho Sorvetes, Quality Lavanderia, Thrifty Car Rental e outras mais).

 

A chegada de novas empresas é importante, mas é preciso fortalecer aquelas que já estão radicadas na cidade. E isto também tem ocorrido. Muitas empresas genuinamente corumbaenses aproveitaram a melhora do ambiente de negócios e aprimoraram suas estruturas como é o caso da Ase Motors, Dolce Café, Laço de Ouro, Supermercado Quadri, Atacado Fernandes, Gazin, Romeira e City Lar.

 

O economista ressalta que um dos principais efeitos da vinda e do fortalecimento destas empresas de grande porte é a abertura de pequenas e médias empresas que subsidiam a operação destas empresas maiores, promovendo assim um aumento do número de oportunidades no município. Estas empresas (de pequeno e médio porte) ganham um papel primordial no dia a dia da economia local. Conforme dados do Ministério do Trabalho e Emprego – RAIS, Corumbá tem 1.816 empresas ativas e destas, 97% das empresas são micro e pequenas.

 

Empregos

 

A geração de contratação e empregos também aumentou. Apesar de no ano de 2014 o saldo entre as admissões e demissões ter sido negativo, Corumbá tem evoluído no número de contratações em 15% na comparação entre 2013/2014. Grande parte deste resultado é do setor de serviços, que detém 27% do número total de empregados e do comércio, onde 20% dos trabalhadores estão empregados conforme a RAIS- MTE.

 

“Se temos um novo vigor empresarial, uma geração positiva de emprego, temos também melhorias de renda. Ao pegarmos a remuneração média de todos os setores da economia local informada pelo Ministério do Trabalho e Emprego, o valor médio somado da remuneração do ano de 2013 foi de aproximadamente R$ 35 milhões por mês, e em 2014, R$ 37 milhões por mês, representando um aumento de 5,71% na renda”, explicou.

 

Mas estes resultados ainda precisam ser melhorados na visão do prefeito Paulo Duarte. Para ele, é necessário continuar trabalhando para melhorar a estrutura do empresário, visando gerar mais emprego e renda para a população.

 

O secretário de Indústria e Comércio, Pedro Paulo Marinho de Barros, complementa dizendo que as secretarias e fundações ligadas ao setor produtivo local, continuam a trabalhar para aumentar estes resultados. Ele cita como exemplo, a pesquisa que mapeou as oportunidades nos 22 bairros do município como forma de descentralizar os negócios em Corumbá, e assim demonstrar que há oportunidades em todo o território da cidade.