Frigorífico vai gerar até 80 empregos diretos e diversificar economia local

Até o início de 2016, entra em funcionamento o frigorífico da Ema (Empresa Marinho de Agropecuária do Pantanal Ltda). O empreendimento, iniciado em 2013, fica na BR-262, próximo ao posto de fiscalização da Iagro. Já para o começo do ano que vem, 30 empregos diretos devem ser gerados no local.

 

Outros 30 postos de trabalho estão ocupados só nesta fase de construção. São 2.500 metros quadrados de área construída e a capacidade de abate será de 100 reses por dia. “Nossa ideia é começar abatendo de 30 a 50 cabeças por dia e ir expandido conforme a demanda”, explicou Alberto Marinho, um dos diretores do frigorífico.

 

Quando o frigorífico estiver operando em sua capacidade máxima, serão necessários pelo menos 80 funcionários. “Vamos ocupar a mão de obra da cidade. Teremos toda uma parte voltada para o treinamento e a preparação desses trabalhadores”, afirmou Tadeu Marinho, diretor de planejamento da Ema.

 

O objetivo dos empresários é atender o mercado local e também exportar a legítima carne pantaneira. Para isso toda a cadeia produtiva está sendo construída dentro das normas e exigências do Serviço de Inspeção Federal (S.I.F.). “Estamos trabalhando para ter zero de resíduos e zero de poluição”, reforçou Alberto. “Toda a água usada no processo será tratada e reutilizada para irrigar as pastagens”, exemplificou.

 

O prefeito de Corumbá, Paulo Duarte, visitou as instalações na última sexta-feira e destacou o empreendedorismo dos sócios da Ema. “São pessoas de Corumbá que estão acreditando e investindo no desenvolvimento da cidade”, afirmou, reiterando o compromisso da Prefeitura em atrair novos negócios e gerar mais empregos na região.

 

“Buscamos desburocratizar a máquina pública para que Corumbá seja mais atraente aos que, mesmo neste período de crise, estão empreendendo e diversificando a base da nossa economia”, enfatizou, lembrando que a poucos quilômetros do frigorífico também está sendo construída uma outra empresa de grande porte.

 

“O frigorífico de jacarés será o maior do mundo. E também será um atrativo turístico e um grande gerador de renda aos corumbaenses”, concluiu Duarte, que estava acompanhado do secretário municipal de Indústria e Comércio, Pedro Paulo Marinho de Barros.