Padre Ernesto Sassida é lembrado com abraço simbólico à Cidade Dom Bosco

Um abraço simbólico no início da manhã desta sexta-feira, 13, marcou o início das celebrações do segundo ano de falecimento do padre Ernesto Sassida. O ato reuniu alunos, professores, corpo diretivo da Escola Estadual Dom Bosco, além do padre Waldomiro Bronakowski, diretor geral da Missão Salesiana de Mato Grosso; do prefeito Paulo Duarte, e outras autoridades.

 

Durante o ato o prefeito conversou bastante com os alunos e lembrou a grande obra social deixada pelo Padre Ernesto Sassida, como a Cidade Dom Bosco que abrigam projetos importantes e eternizados, voltados para famílias de baixa renda.

 

O abraço simbólico foi organizado pela direção da Escola Dom Bosco e teve a participação de mais de 1.200 alunos da instituição, conforme informou a diretora Maria Clarice Servion.

 

As celebrações terão continuidades à noite, a partir das 19 horas, com realização de duas missas simultâneas, uma no Santuário de Nossa Senhora Auxiliadora e a outra na Paróquia São João Bosco, em homenagem póstuma a Sassida.

 

A data de hoje foi lembrada pelo padre Waldomiro Bronakowski em um artigo em que enaltece o padre Ernesto Sassida. Confira na íntegra:

 

“Há dois anos atrás Padre Ernesto partia para a casa do Pai.

 

Ao rezar o Credo você proclama solenemente: creio na vida eterna! Qual o sentido dessa afirmação? Em que verdades você proclama acreditar?

 

Para o cristão, a morte, longe de ser o fim de tudo, é a possibilidade de um encontro com Jesus Cristo; é a entrada na vida eterna. Com ela, termina o tempo aberto ao acolhimento ou à recusa da graça divina.

 

O Novo Testamento fala da retribuição que cada um receberá, após a morte, em função de sua fé e das obras que realizou. Vemos isso na parábola do pobre Lázaro (cf. Lc 16,19-31), nas palavras de Cristo ao Bom Ladrão (cf. Lc 23, 39-43) e em expressões como a do apóstolo Paulo: “Porque teremos de comparecer diante do tribunal de Cristo. Ali cada um receberá o que mereceu, conforme o bem ou o mal que tiver feito enquanto estava no corpo” (2Cor 5,10).

 

O autor da carta aos Hebreus apresenta uma afirmação na mesma linha: “Está determinado que os homens morram uma só vez e logo em seguida vem o juízo” (Hb 9,27). Portanto, cada pessoa, depois da morte, receberá a retribuição eterna, num juízo que colocará sua vida em relação à de Cristo e aos apelos que nos deixou no Evangelho. São João da Cruz dizia: “Seremos julgados quanto ao amor!”.

 

O dia 13 de março de 2013, a data que marca a partida deste mundo  o nosso querido irmão salesiano Pe. Ernesto Sassida, recorda que somos peregrinos; que não temos aqui na terra morada permanente, que estamos sempre a caminho. Somos todos viajantes para a casa do Pai, a nossa morada definitiva. A comemoração da partida do Pe. Ernesto, deve ser também um dia de agradecimento. Não pela morte, mas pela vida plena que recebemos de Cristo e em Cristo.

 

Pe. Ernesto como Jesus Cristo deu a sua vida lutando como soldado e correu como bom atleta salesiano, terminou a corrida, e como filho de São João Bosco amou as nossas crianças, adolescentes e jovens.”

 

O Padre

 

Padre Ernesto Sassida nasceu na Eslovênia e veio cedo para o Brasil. Aqui, foi fundador da maior obra social existente na cidade: a Cidade Dom Bosco, que abriga projetos como escola, centro profissional, projeto Criança e Adolescente Feliz e programas de Assistência Social, como o Sino da Caridade e a Adoção a Distância. A Cidade Dom Bosco foi fundada por Sassida em 03 de abril de 1961.

 

Padre Ernesto morreu em 13 de março de 2013, aos 93 anos, dos quais 77 vividos no Brasil, 66 em Corumbá.