Audiência sobre Festival América do Sul retira propostas para programação

A classe artística, o trade turístico, empresários e população em geral participaram da audiência pública sobre o Festival América do Sul. O momento participativo foi realizado na noite desta quinta-feira, 12 de março, no auditório da Unidade III da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul.

 

O local ficou lotado e as discussões que se transformaram em propostas elencadas nas mais diversas vertentes artísticas foram registradas em ata. O documento norteará a elaboração da programação do evento que, de acordo com o secretário estadual de Cultura, Turismo, Empreendedorismo e Inovação, Athayde Nery, deverá ser divulgada até o dia 15 de abril.

 

“Sem participação não vamos a lugar nenhum, existe uma crise de representação que só pode ser enfrentada com transparência, compartilhamento, confraternização para superar as dificuldades”, disse Nery sobre o motivo da realização da audiência pública em Corumbá.

 

“Queremos levantar todas as expectativas, as propostas incorporadas ao nosso planejamento, nosso projeto. Já conseguimos fazer com que Corumbá seja o local de encontro dos secretários de cultura e de turismo do Brasil. Essa exuberância tem que ser propalada e propagandeada no mundo inteiro. Isso é um encantamento que poucos seres humanos têm acesso. Vamos transformar nesse FAS Corumbá como centro do debate do meio ambiente, da sustentabilidade, da ciência e tecnologia, do empreendedorismo e do turismo”, falou o secretário ao afirmar que o caráter de debates do Festival será retomado.

 

Para o diretor-presidente da Fundação de Cultura de Corumbá, José Antônio Garcia, “Tanabi”, a audiência devolve ao povo corumbaense um elemento muito importante para a evolução e sucesso do evento.

 

“Ficamos muito felizes, porque Corumbá sempre esteve apenas cedendo o local, mas agora os segmentos da cultura corumbaense terão voz. Essa abertura que o Governo está fazendo e dando a nós, corumbaenses, a oportunidade de ter a sensação de pertença, de estarmos envolvidos com o Festival América do Sul”, declarou.

 

Para reforçar essa característica, o prefeito de Corumbá, Paulo Duarte, repetiu a solicitação da inclusão do nome da cidade no evento. A sugestão já havia sido comentada com o secretário de Cultura, Athayde Nery, em visita ao gabinete municipal da tarde do mesmo dia.

 

“Temos que ter o Pantanal, sim, mas reforçar isso que vemos em outros lugares onde o evento carrega o nome da cidade junto, tal como o Festival Literário de Paraty e, também aqui no Estado, o Festival de Inverno de Bonito, além dos internacionais como Festival de Cinema de Berlim”, citou ao ser aplaudido pela platéia.

 

Reforçar identidade

 

Paulo Duarte comentou sobre a grande presença de pessoas na audiência como prova da grande vontade de participação do povo e dos artistas do município de forma mais efetiva.

 

“Nos últimos anos do Festival, a cidade de Corumbá ficou como mero espectador, fazia um evento e a cidade era somente a hospedeira do Festival. Talvez seja através da cultura que é uma linguagem universal que rompe fronteiras, que não tem barreiras que a gente possa efetivamente construir uma cidade, um Estado, um país melhor”, disse ao tornar pública a boa relação que o Governo Municipal vem desenvolvendo com o Governo Estadual.

 

“Estamos de braços abertos para discutir, dialogar sobre como é que queremos esse Festival. Temos uma relação muito próxima, republicana e faremos cada vez mais e juntos”, afirmou o prefeito corumbaense.

 

A 12ª edição do Festival América do Sul está com data definida e acontecerá entre os dias 03 e 07 de junho.