Aluno diz que Projovem é uma porta que se abriu para realizar um sonho

“Depois de anos, hoje tenho a oportunidade de voltar para a escola com o Pojovem Urbano e recuperar o tempo e os sonhos perdidos, adiados. Esse programa é uma grande porta que se abriu para muitos, assim como eu, darem seus primeiros passos para o futuro”. O testemunho é de Claudiney Soares dos Santos, 22 anos, que, após anos fora dos bancos escolares, está tendo a oportunidade de concluir o Ensino Fundamental e, junto, se capacitar na área da alimentação.

 

O depoimento de Claudiney foi feito durante a aula inaugural do Projovem Urbano na Escola Municipal Ângela Maria Perez. Ele representou o grupo de 219 alunos que, nos próximos 18 meses, vão participar do programa desenvolvido pela Prefeitura de Corumbá, por meio da Secretaria de Educação, em parceria com o Ministério da Educação do Governo Federal.

 

Cludiney explicou que viveu metade de sua vida na zona rural. Com o passar do tempo, sua família mudou-se para a área urbana. “Quando aqui cheguei com minha família, minha primeira ação foi matricular em uma escola. Mas, por conta de uma realidade difícil, tive que começar a trabalhar, isto aos 10 anos de idade. De lá para cá nunca mais parei de trabalhar”, revelou.

 

“Com o passar do tempo, as necessidades foram se agravando. Passamos por momentos difíceis e, à medida que as lutas aumentavam, tinha que trabalhar mais e mais. O resultado disso tudo foi o afastamento da escola até a evasão total”, revelou, acentuando que, neste período, participou de grupos de jovens e organizações religiosas.

 

Hoje, o aluno se mostra otimista e cheio de expectativas em relação ao seu futuro. Isto se deve em boa parte ao Projovem Urbano. “O programa com seus professores é diferente da escola normal. Aqui ele nos incentivam e motivam a continuar nossa caminhada. Tudo aqui é feito de acordo com nossa realidade. As matérias são mais interessantes e fáceis de entender”, justificou.

 

E ele já projeta o futuro. “Meu sonho é entrar na universidade pública e cursar Direito e Administração”, revelou para em seguida afirmar que “o próprio nome do programa representa a juventude e esta representa a possibilidade de sonhar, buscar, conquistar e persistir pelos nossos objetivos e chegar até o final. Este final é o começo de um sonho a se realizar”, finalizou.

 

Sonho de todos

 

O testemunho de Claudiney foi compartilhado pelos demais alunos das cinco salas de aula do Projovem Urbano na Escola Ângela Perez. Taiane Maiara, 24 anos, é outra jovem que, após anos fora dos banco escolares, resolveu concluir o Ensino Fundamental e se capacitar no arco Alimentação por meio do programa iniciado em fevereiro.

 

“Estudei até a 6ª série aqui mesmo na Ângela Perez. Fiquei grávida e tive que parar. Agora, apareceu esta oportunidade e decide voltar aos estudos e concluir o Ensino Fundamental”, disse. Hoje, Taiane é mãe de três crianças – Tainara, 08 anos; Emanuel, 04, e Jonata, 10 meses.

 

Só que, agora, as crianças não a impedem de estudar. Ela tem dentro da escola, um espaço para os filhos ficarem, que é a sala de acolhimento, acompanhadas de duas pedagogas. “A gente fica mais tranquila para estudar dessa forma”, diz, revelando que uma das pessoas que motivou a sua volta aos estudos foi a mãe, Dilian Fernandes, que é cozinheira na Ângela Perez.