Sinpetro vai promover encontro regional em Corumbá no mês de março

O prefeito Paulo Duarte recebeu nesta quinta-feira, 26 de fevereiro, a visita do presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis Automotivos, Lubrificantes e Lojas de Conveniência do Estado de Mato Grosso do Sul (Sinpetro), Mário Seiti Shiraishi. Além de discutir parcerias que incentivem a geração de novos postos de trabalho em Corumbá e Ladário, os dois também conversaram sobre o encontro regional que a entidade vai realizar na cidade no próximo mês de março.

 

Agendada para os dias 26 e 27, a atividade deve reunir empresários de toda região pantaneira, além de disponibilizar diversas palestras, workshops e mesas redondas sobre temas diretamente ligados ao setor. “Vamos buscar parcerias que permitam o desenvolvimento e o crescimento econômico do município”, afirmou o prefeito. Uma das demandas trazidas pela Sinpetro é a demora na liberação de alvarás.

 

“Vamos procurar o Governo do Estado e propor uma parceria para que este tipo de serviço possa ser feito diretamente aqui na cidade de forma mais ágil. Uma licença ambiental, por exemplo, pode demorar mais de um ano para ser liberada no órgão estadual. Toda essa burocracia acaba atravancando o trabalho de empresas instaladas aqui e também novos investimentos”, completou Paulo Duarte.

 

“Corumbá é uma cidade muito importante para o Mato Grosso do Sul, até porque responde sozinha por 25% de toda receita do ICMS do Estado”, destacou Shiraishi. O vereador Carlos Alberto Machado, segundo presidente da Câmara Municipal de Vereadores de Corumbá, e o empresário Azuir Andrade Leite também participaram da reunião.

 

Pauta Fiscal

 

Durante a agenda, o prefeito de Corumbá e o presidente da Sinpetro discutiram ainda sobre a alíquota de ICMS cobrado sobre o diesel no Estado. “O valor atualmente praticado aqui deixa nosso combustível pouco competitivo. Pagamos 17% de imposto, quando em São Paulo e no Paraná esse índice é de 12%. Isso provoca uma série de conseguências em nossa economia”, observou Mário Shiraishi.

 

“É preciso encontrar uma solução de diminuir essa cobrança sem afetar a arrecadação do Estado e dos municípios. Uma alternativa é incentivar o aumento do consumo para que não se perca receita e nos ternemos mais competitivos”, destacou Paulo Duarte. Com a eminencia da consolidação da rota bioceânica, que liga Corumbá a Iquique, no Chile, o preço do combustível será determinante para a atualização da via.