Moradores aguardam com ansiedade a entrega do Centro de Artes e Esportes

Os moradores da parte alta da cidade, em especial do Jardim dos Estados, aguardam com ansiedade a entrega do Centro de Artes e Esportes Unificados que a Prefeitura está concluindo naquela região. No último sábado, 07, a população teve a oportunidade de participar de várias atividades no local, durante uma oficina de mobilização social, programa desenvolvido pelo Poder Executivo, por meio do Grupo Gestor, como parte de um cronograma estabelecido pelo Governo Federal, visando definir a gestão do espaço, a partir da inauguração programada para o final do mês de março ou início de abril.

 

A mobilização social aconteceu durante toda a manhã de sábado com atividades como pintura artística, roda de capoeira, plantio de árvores, dança, hip hop, atividades esportivas, ginástica, apresentação da bateria da escola de samba Mocidade Independente da Nova Corumbá, entre outras.

 

O grupo gestor é integrado por 15 pessoas que representam o Poder Executivo, a comunidade e a sociedade civil organizada (cinco cada). O prefeito Paulo Duarte acompanhou a ação e, no final, se disse satisfeito com a presença de moradores da região, não só do Jardim dos Estados, mas de outros bairros da parte alta.

 

E os moradores, antes mesmo da inauguração do espaço, já demonstram otimismo e satisfação. “Aqui, antes, tinha um campo de futebol e já era movimentado. Agora, vamos ter muito mais opções, além do campo de futebol. Vai aumentar o fluxo de pessoas. Vai ser bem melhor para todos nós, mais diversão para as crianças”, disse Vasco Baltazar dos Santos que tem um comércio bem em frente à praça, na Rua Marechal Deodoro. “Tenho um terreno ao lado e já estou pensando em aumentar o meu estabelecimento. Esta praça vai movimentar muito aqui”, revelou.

 

Matilde Barbosa Lima, residente na Rua Pará, Jardim dos Estados, também demonstrou euforia. “Não esperava tudo isso. A gente achava que seria construída uma praça pequena com um campo de futebol e só”, disse, enquanto observava a movimentação. “Bem diferente de tudo que a gente pensou. Teremos até um CRAS e isto precisava aqui. Antes, a gente tinha que procurar um e todos ficam longe daqui. Agora teremos o nosso mesmo”, completou.

 

As crianças também estão ansiosas pela entrega da obra. Sem um espaço adequado para atividades esportivas, elas acabavam ficando nas ruas, preocupando os pais. “Aqui tem tudo, até pista de skate”, disse o pequeno Málio Victor Arruda de Oliveira, 06 anos, com um skate na mão, mas ainda com medo de fazer manobras na pista: “não consigo andar lá”, dizia enquanto observa os maiores fazendo manobras, arriscando andar ao lado, no plano.