Falando sobre prevenção ao câncer, Imperatriz fecha Grupo de Acesso

Chamando a atenção da sociedade para a prevenção do câncer, a Imperatriz Corumbaense encerrou o desfile das escolas do Grupo de Acesso do Carnaval Cultural de Corumbá em grande estilo. Com cerca de 600 componentes, a agremiação deu um show de empolgação e cores na Passarela Pantaneira do Samba.

 

A comissão de frente, formada por 10 bailarinos, encenou as principais metodologias de prevenção à doença. O recado da escola veio logo no primeiro carro, intitulado Imperatriz alerta, prevenir é o melhor remédio, onde veio a coroa símbolo da agremiação e a foto do doutor Paulo Prata, fundador do Hospital do Câncer de Barretos. Funcionários do setor de oncologia da Santa Casa de Corumbá também vieram na alegoria.

 

O mestre-sala Elton e a porta-bandeira Lindinha inovaram ao representar a radioatividade, uma das formas de tratar a doença. A bateria, por sua vez, desceu de hemoglobina, representando o sangue de uma vida nova. Os 50 ritmistas, guiados pela rainha Cecília Sant’anna, mostraram muita afinação e entrosamento, principalmente na execução do retorno.

 

Nas alas, uma lembrança sobre as várias formas que a enfermidade pode se manifestar: cerebral, pele, mama, rim, leucemia, ósseo, infantil, bexiga, próstata, pâncreas e fígado. A família Mavignier, idealizadora da campanha do lenço Solidário em Corumbá, foi bastante lembrada durante o desfile.

 

Rosa Mavigner, quem motivou a ação social, veio como destaque no segundo carro e foi muito saudada pelo público.  Na última alegoria, os destaques foram Júlia, diretoria do Hospital de Barretos, e sua filha Geovana, além da diretora do leilão beneficente de artes realizado em prol do hospital, Regina, e Sandália, figura bastante conhecida em Corumbá e Ladário.