Prefeitura inicia ação para disciplinar serviços de carroceiros na cidade

A Prefeitura de Corumbá iniciou entendimentos na manhã desta quinta-feira, 18, para disciplinar os serviços realizados por condutores de carroças na área urbana, principalmente de transporte de materiais como restos de podas de árvores e entulhos. O primeiro contato foi mantido pela manhã na sede do Centro de Referência de Assistência Social do Bairro Centro América (CRAS I) e envolve as mais diferentes pastas da Administração Municipal.

 

“São trabalhadores que sustentam suas famílias transportando produtos com suas carroças. A orientação do prefeito Paulo Duarte foi buscar alternativas para valorizar estas pessoas e é o que estamos procurando fazer”, disse a diretora-presidente da Fundação de Meio Ambiente, Luciene Deová.

 

Ela explica que, neste primeiro contato, a Prefeitura está realizando o cadastramento de todos os trabalhadores que utilizam este meio de transporte para sustentar suas famílias. “Eles transportam principalmente entulhos e restos de podas de árvores. Teriam que fazer o descarte no aterro sanitário que fica localizado na estrada que dá acesso ao Assentamento Taquaral. Como é um pouco longe, buscamos outra alternativa e estamos conversando com todos eles, orientando sobre o que transportar e onde fazer o descarte adequado”, ressaltou.

 

Luciene informa que este novo local será uma área da própria Prefeitura, na região do Bairro Aeroporto. “O aterro é distante e, para fazer o descarte lá, cansaria muito o animal (cavalo). Em comum acordo com as secretarias de Infraestrutura e Serviços Públicos e a de Saúde, optamos por esta área. Eles vão descartar lá e a Prefeitura vai levar todo o material para o aterro”, disse.

 

Esta decisão foi tomada como forma de evitar que os condutores de carroça façam descarte em terrenos baldios, como acontece com frequência na cidade. “A partir desta campanha de orientação, as equipes da Fundação de Meio Ambiente vão fazer a fiscalização e multar quem fizer o despejo fora da área estabelecida”, explicou.

 

A ação não se resume apenas no transporte. Uma equipe da Secretaria de Assistência Social e Cidadania está fazendo o cadastramento de todos os condutores de carroça para saber, inclusive, se são atendidos por programas sociais desenvolvidos na cidade em parceria com o Governo Federal. “O trabalho é amplo e sabemos que muitas dessas famílias não são atendidas pelos programas sociais. Vamos cadastrar e buscar atender todas”, disse a secretária Andréa Ulle.

 

O cadastro vai permitir ainda saber quantos trabalhadores atuam na área, além de facilitar o atendimento destas famílias por meio da Secretaria de Saúde. A saúde dos animais também está no cronograma estabelecido pelo Município. Na manhã de hoje, por exemplo, todos que chegavam ao CRAS, além de participar de uma reunião com as equipes, tinham seus animais atendidos por servidores da Secretaria de Produção Rural, inclusive veterinários, com aplicação de vacinas contra raiva.

 

A Agência Municipal de Trânsito (Agetrat) também faz parte dessa equipe que está trabalhando nas ações para atender os carroceiros. A proposta é programar cursos com os trabalhadores, bem como sinalizar as carroças, dotando-as de condições de transitar no período noturno, com maior segurança.

 

Para Francisco Tavares Nunes, 49 anos, a iniciativa da Prefeitura vai atender os anseios da categoria. Morador no Cristo Redentor, ele afirma que sustenta quatro pessoas fazendo transporte com a carroça. “É ruim jogar em terreno alheio. O lixão fica muito longe. Mas, agora, com este local mais próximo, vai ajudar muito a gente e o animal não será tão sacrificado. E o espaço que eles estão arrumando é bom, fica mais próximo do centro”, disse.

 

Quem também considerou a iniciativa boa foi Maria de Lurdes Souza dos Santos, 56 anos. Esposa de carroceiro (Eduardo Silva Morais), ele afirma que a definição de um local próximo era “tudo que a gente sempre quis. Foi uma iniciativa muito boa. A gente não tinha um outro espaço fora do lixão, só os terrenos baldios. Agora, vamos ter um espaço próprio, próximo. Será bem melhor”, disse.