CAPSad encerra ano e forma pacientes em programa de alfabetização

Pacientes, familiares e equipe do Centro de Atendimento Psicossocial – Álcool e Drogas (CAPSad) participaram de um momento de confraternização e de celebração de conquista na manhã desta quinta-feira, 18 de dezembro, quando aconteceu a formatura do Programa Brasil Alfabetizado.

 

Durante nove meses, dez alunos foram apresentados à estrutura da escrita e leitura, rompendo com uma condição que os colocava excluídos desse universo. Novas possibilidades foram surgindo com o letramento, assim como demais perspectivas que são trabalhadas em várias ações desenvolvidas pelo CAPSad em Corumbá.

 

O objetivo é prestar um trabalho multidisciplinar de assistência aos dependentes químicos, envolvendo a prevenção, o tratamento e a reinserção dessas pessoas na sociedade. Com atendimentos individuais e em grupo, oficinas terapêuticas e a administração de medicamentos sobre orientação médica, quando necessária, os pacientes vêem se abrir diante deles um novo mundo onde, cada um, tem responsabilidade por cultivar o bem-estar.

 

“Me emocionei muito com a história de cada um. Foram nove meses de curso. Cada um tem sua bagagem de vida e vem com muito saber. Eu percebi que, no início, era todos muitos acanhados, não conversaram muito e, agora, eles estão mais despachados, com menos receio de interagir com as pessoas porque já não se sentem mais tão excluídos do mundo a escrita”, disse a professora alfabetizadora Josiane Chaves Melgar.

 

Com direito a capelo (chapéu de formando), os pacientes recebêramos diplomas das mãos do prefeito Paulo Duarte, da vice-prefeita e diretora-presidente da Fundação de Cultura de Corumbá, Márcia Rolon, da secretária Municipal de Educação, Roseane Limoeiro, do Assessor de Relações Institucionais da Prefeitura Municipal de Corumbá, Lamartine Figueiredo e da gestora do CAPSad, Liliane Pinho de Almeida.

 

“Quem define e diz o que vai fazer da vida que Deus nos dá é a gente. Não são nossos pais, esses nãos orientam, quem decide o que vamos fazer da nossa vida somos nós por isso é realmente preciso saber viver porque podemos viver muito bem ou muito mal. A gente quando erra e todos nós erramos, Deus nos dá oportunidade de tentar outra vez e corrigir nossos erros”, disse o prefeito Paulo Duarte aos presentes no momento que também marcou o encerramento das atividades deste ano da unidade.

 

“Vocês não são para nós pessoas invisíveis, são tratados aqui com todo carinho e respeito. Não estou aqui para dar lição de moral em ninguém. Eu sou um sobrevivente pois, embora, eu nunca tenha usado drogas ilícitas, fui tentado várias vezes. Convivi com pessoas que experimentaram e nunca saíram deste caminho e outras que se recuperaram assim como tenho certeza que vocês vão também”, afirmou Duarte ao se dirigir aos pacientes.

 

O chefe do Executivo também fez questão de ressaltar o importante papel desempenhado pela equipe multidisciplinar do CAPSad que garante apoio integral aos pacientes de forma humanizada.

 

“Eu sei que é muito difícil, às vezes, a própria família tem dificuldade em conviver com os pacientes, mas se não é fácil para a família, imagine para quem trabalha aqui onde chega uma pessoa que estava na rua, que nunca viram e acolhem, tratam com respeito e carinho como se fosse um dos seus familiares? Por isso todo minha admiração para a equipe do CAPS”, declarou.