Após cirurgia, 140 pessoas vão passar um Natal com muito mais brilho

Um misto de alegria, ansiedade e expectativa. Era esse o clima vivido por centenas de pacientes que fizeram nos últimos dias a tão esperada cirurgia de catarata em Corumbá. Às vésperas da data mais importante do ano – o Natal – ninguém quis saber de ficar em casa para esperar o horário de ser atendido. Logo nas primeiras horas da manhã desta segunda-feira, 22, a Unidade Básica de Saúde Padre Ernesto Sassida, no Bairro Dom Bosco, estava lotada. Tanto que foi necessário providenciar cadeiras extras para ninguém ficar de pé, esperando atendimento.

 

Na unidade, onde os recém operados passam por avaliação pós-cirúrgica, o ti-ti-ti era um só: a felicidade de poder enxergar melhor o colorido do Natal, data tão esperada e que para a maioria das pessoas significa reunir amigos e familiares e desfrutar de momentos de alegria que são guardados com muito carinho na lembrança de todos.

 

“Seo” James (72), dona Bela Rosa (64) e dona Arlinda (73) têm histórias de vida completamente diferentes. Mas o que os une neste momento é a alegria de poder voltar a enxergar.

 

James Maria Atagiba fez a cirurgia nesse domingo, 21. O comerciante, que em setembro já tinha sido submetido à primeira cirurgia, mal conseguia se conter de alegria. “Agora sim! Eu já estava enxergando bem, mas agora tá bom demais. Eu não enxergava nada. Usava óculos com grau muito alto, em torno de 7 graus e não tinha condições de pagar para fazer a cirurgia pelo particular. Em três meses ganhei meus olhos de novo. Agora vou curtir o Natal”, confidencia.

 

A dona Bela Rosa também estava contente. Ao longo de 2014 percebeu sua visão ficando cada vez mais turva. Embora a catarata tivesse atingido apenas seu olho esquerdo, ela conta que precisou parar de fazer seus bordados, pois sentia a “vista cansada”. Agora, além de recuperar a visão, vai poder voltar a sua rotina.

 

Já dona Arlinda Pinto de Arruda, não vai mais precisar da ajuda da vizinha para lhe dizer que o marido dela está chegando do trabalho. Por causa da catarata ela conta que só enxergava vultos e que para reconhecer as pessoas era necessário que elas estivessem bem perto dela.

 

“Além de demorar demais nos afazeres de casa, porque eu tinha de ficar olhando para os objetos por muito tempo para saber o que eram, eu não conseguia reconhecer meu próprio esposo quando ele chegava do trabalho. Agora não. Estou muito feliz por voltar a enxergar”, comemora.

 

Uma figura muito conhecida dos corumbaenses também estava na UBS Padre Ernesto Sassida para fazer a avaliação pós cirúrgica. Francisco Ibanhez, 80, mais conhecido como Tachi, fez cirurgia para pterígio no final de semana.

 

Sorridente, o ex-atleta do time do Corumbaense disse que o pterígio causava um incômodo muito grande e a impossibilidade de enxergar direito lhe deixava muito desgosto. “Eu parei até de dirigir à noite porque não enxergava direito”. Pessoas como o James, Bela, Arlinda e Tachi agora terão vida nova.

 

“Este foi um grande presente de Natal para essas pessoas”, avaliou o prefeito Paulo Duarte em vista à Unidade de Saúde. “Desde o ano passado estamos trabalhando para zerar a fila de espera pelas cirurgias de catarata. Esta foi a terceira etapa e em 2015 teremos mais ações como essa”, celebrou.

 

“No início não sabíamos quantas pessoas precisavam realizar o procedimento. A partir da primeira ação fizemos um levantamento e hoje sabemos que existem quase mil pessoas à espera da cirurgia”, completou o chefe do executivo corumbaense.

 

Somente este ano cerca de 360 pessoas foram beneficiadas com as cirurgias. Nesta segunda etapa 140 pessoas fizeram os procedimentos.