Corumbá ganha sala de cinema nesta terça e Tim Maia estreia amanhã

Tim Maia é o primeiro filme em cartaz no Cine Sesc Corumbá que será inaugurado na terça-feira, 25, às 19 horas. É a volta do cinema na maior cidade pantaneira após mais de 12 anos sem contara população ficar por mais de 12 anos sem presenciar os grandes filmes nacionais e internacionais na ‘telona’.

 

A sala de cinema que será entregue à população corumbaense faz parte de uma parceria entre a Prefeitura Municipal e o Sesc Corumbá. O ato acontece na terça e a cerimônia contará com o lançamento da biblioteca integrada à área de circulação social do novo Sesc Corumbá, no piso térreo, com um acervo de três mil livros, além de uma exposição de arte com Jorapimo com 22 quadros do artista plástico corumbaense, acervo adquirido pelo Sesc, e uma apresentação da Orquestra de Viola Caipira de Corumbá.

 

A nova sala de cinema apresentará exibições culturais e comerciais. Vai funcionar na unidade do Sesc Corumbá localizada no Porto Geral (Centro de Convenções), às margens do Rio Paraguai, um dos mais charmosos cartões postais da cidade e porta de entrada para o Pantanal.

 

No último final de semana, acompanhado da gerente local da unidade, Thayná Cambará, o prefeito Paulo Duarte presenciou os ajustes finais da nova sala de cinema e mostrou satisfação com o empreendimento. Ele classificou como mais um marco da história de Corumbá, e que a população aguardava ansiosa a volta do cinema na cidade. “Vai ser muito bom para todos nós que gostamos e estávamos com saudade das grandes produções mundiais que poderemos assistir aqui”, destacou.

 

A nova sala está localizada dentro das instalações do Centro de Convenções e terá capacidade para 162 pessoas, com direito inclusive a pipoca. A sala de cinema faz parte da parceria estabelecida pela Prefeitura com o Sesc MS, quando o prefeito Paulo Duarte firmou convênio com a instituição para administrar o espaço.

 

A diretora regional do Sesc, Regina Ferro explica que a formalização dessa parceria com o Sesc se deveu à necessidade de otimizar o uso do Centro de Convenções na formação e produção cultural e artística permanente da população. “E a sala de cinema integra este projeto”, comentou.