Comunidade comemora a entrega do remodelado Complexo Poliesportivo

A população corumbaense ganhou um novo espaço voltado para atividades esportivas, culturais e de lazer, com reflexo direto na saúde, com a entrega na noite de ontem, quarta-feira, do remodelado Complexo Poliesportivo da Rua Porto Carrero. O ato foi comandado pelo prefeito Paulo Duarte e comemorado pelas pessoas que tiveram oportunidade de participar da festa.

 

A solenidade aconteceu no interior do ginásio poliesportivo Lucílio de Medeiros, totalmente lotado pelo público. Do lado de fora a ocupação também era grande. Muita gente fazendo caminhada na pista do campo principal e no entorno do espaço; realizando manobras radicais na nova pista de skate; jogando futebol nos dois campos gramados e em uma das quadras de areia; jogado vôlei na outra quadra de areia (são duas); fazendo ginástica na academia ao ar livre; jogando tênis, e até mesmo descansado nos bancos instalados no local.

 

Entre todos estes equipamentos do novo complexo, dois são utilizados com frequência por Analice Pereira da Silva e sua filha Denise Benevides: a c alçada no entorno do complexo durante as caminhadas, e a academia ao ar livre. “Quase todos os dias a gente está aqui, fazendo caminhadas. Depois a gente vai para a academia”, afirmou Denise. Ela disse ter gostado de tudo que foi feito e que o complexo é uma boa opção hoje para o lazer e também “um incentivo a mais para praticar esporte”.

 

As duas são frequentadoras assíduas daquele espaço. Analice concordou com a filha e disse que, após a ampla reforma, o local melhorou muito. “Até o calçadão ficou melhor para caminhar”, disse. “E o mais importante é que está tudo iluminado”, completou a filha Denise.

 

Atraindo famílias

 

Desde que a reconstrução do complexo foi iniciada, o prefeito Paulo Duarte afirmava que a proposta era dotar o espaço de todas as condições para a prática de atividades saudáveis, voltadas para a família corumbaense. E, neste primeiro dia, isto foi o que se viu em toda a estrutura.

 

“Antes, quando era a pista antiga, muitos viam a prática do skate com certo preconceito. Hoje mudou muito. Os pais trazem os filhos aqui para praticar este esporte e afirmam que tudo isto refletiu em melhor nos estudos. Esta pista está sendo muito importante para todos”, celebra Luiz Gabriel Ramos de Carvalho, 22 anos, mais conhecido com o “Sorriso”.

 

Ele é uma espécie de líder do local. Cuida para manter a harmonia e evitar depredação. Aliás, foi Sorriso que, em 2013, comandou um grupo de 45 skatistas em um encontro com o prefeito Paulo Duarte. “Fomos à Prefeitura para entregar o projeto desta pista ao prefeito. Hoje podemos dizer que temos uma pista que está entre as melhores do Estado”, acentuou.

 

E a nova estrutura atraiu mais adeptos a este esporte. “Estamos com mais de 100 skatistas aqui. A grande maioria é adolescente. Os pais trazem os filhos e acompanham eles fazendo manobras. Antes isto não acontecia. A gente tinha uma pista pequena, fora dos padrões, não dava para fazer manobras, iluminação era ruim, piso cheio de buraco… Hoje melhorou 100%. Não está tudo amontoado. Os obstáculos estão dentro dos padrões, espaçados. Já estamos até pensando em realizar campeonatos”, declarou.

 

E foi “Sorriso” que apresentou o pequeno Flávio Henrique, de apenas oito anos, estudante do terceiro ano no Colégio Dom Bosco. Ele é uma das crianças que sempre está acompanhada dos pais, Fabiano Leonardo Silva e Priscila Freitas. “Desde pequeno ando de skate. Antes era em um de plástico que quebrou e meu pai me deu esse”, diz, mostrando seu equipamento. Sobre a escola, afirma que “já está passando de ano” e que fará o quarto em 2015.

 

Os pais observam de perto as manobras do pequeno Flávio Henrique. Sentados em cadeiras instaladas na carroceria de uma caminhonete e com a filha menor no carrinho, eles contam que o skate é uma paixão do filho. “Serve até para ele estudar mais. Se está com notas baixas, cortamos o skate e ele recupera logo”, diz Fabiano. Já a mãe revela que, devido aos tombos, ele sempre está com “joelhos e braços ralados. Não reclama porque quer voltar”.

 

Os dois dizem que, antes, muitas pessoas tinham preconceito em relação a esta modalidade esportiva. “Hoje melhorou muito. Os pais tem uma nova imagem do skate”, diz Priscila. Quem concorda com isso é Lindo Alves Lopes Jesus. Depois de trabalhar o dia todo no campo, tratando do gado ou mesmo cuidando da plantação de mandioca, milho e outros produtos, o pequeno produtor rural pega sua moto para trazer a filha Linda Inês Costa Jesus, de 18 anos, até o complexo.

 

Eles moram no Taquaral e visitar a pista se tornou rotina. Ela pratica skate já há algum tempo. Vinha aqui quando era a pista antiga. Acho até que isto ajuda ela relaxar e se sair melhor nos estudos”, afirma, ressaltando que Linda é universitária e faz Administração no Campus Pantanal da UFMS. E não vem apenas com Linda. Natália Ketelyn, de 11 anos, já está seguindo os passos da irmã, iniciando a pratica do skate. “Trago as duas na garupa da moto. A gente sempre dá um jeito”, diz o produtor rural que aproveita para realizar caminhadas no entorno do complexo.