Com recursos próprios, Prefeitura vai concluir drenagem na alameda Vulcano

Na manhã desta quinta-feira, 27 de novembro, o prefeito Paulo Duarte esteve na alameda Vulcano, comunidade ribeirinha localizada no bairro Borrowisk, e anunciou a conclusão da galeria que corta a região. A obra será toda realizada com recursos próprios do Município e deve começar no início do próximo ano.

 

 “Vamos, de imediato, licitar essa intervenção e até janeiro devemos iniciar os trabalhos aqui”, garantiu o prefeito durante conversa com os moradores. A estimativa, segundo o secretário municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos, Gerson da Costa Melo, é de que o serviço seja concluído dentro de até três meses.

 

“Vamos fazer a laje no fundo e as paredes de contenção, impedindo que a água saia do canal e entre nas casas”, explicou o engenheiro. Com as fortes chuvas que atingiram a cidade neste mês, alguns moradores da comunidade enfrentaram problemas. “A água veio com muita força e subiu o córrego”, contou Angélica Rodrigues Ozório.

 

Com a conclusão da galeria pluvial que atravessa os bairros Guató, Cristo Redentor e deságua na Popular Velha, o volume de água que passa pela Vulcano aumentou. “Toda essa chuva vem pra cá. E aqui no trecho onde vamos fazer a obra ela chega com muita força, por isso a necessidade de reforçar esse canal”, detalhou Gerson.

 

A obra vai beneficiar diretamente as mais de 60 famílias instaladas no local. “É uma comunidade tradicional e que faz parte da história da nossa cidade, com uma importância muito grande não só para Corumbá, como para todo o Mato Grosso do Sul”, destacou Paulo Duarte.

 

Em 2010, a comunidade quilombola da alameda Vulcano recebeu o certificado de “Remanescentes de Quilombo”, título dado pelo Ministério da Cultura, através da Fundação Cultural Palmares. A comunidade ribeirinha “Família Ozório” foi a primeira de Corumbá a receber esta certificação.

 

O título proporciona para os moradores, através de trâmites legais, a garantia da posse da terra e o desenvolvimento sustentável das comunidades remanescentes dos quilombos. Neste caso, o cálculo, demarcação e titulação de posse, ficam a cargo do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra).