Prefeitura intensifica ações para efetiva implantação do SIM em Corumbá

Com mais de 30 estabelecimentos visitados, a equipe do Serviço de Inspeção Municipal (SIM) da Prefeitura, está intensificando o trabalho de orientação e esclarecimentos junto aos comerciantes da cidade que trabalham com produtos alimentícios de origem animal, visando a implantação efetiva do programa na cidade, garantindo assim, alimentos de qualidade para o consumidor corumbaense.

 

A nova equipe foi nomeada pelo prefeito Paulo Duarte por meio do Decreto 1.419, de 1º de setembro de 2014, e o passo inicial são justamente estas visitas que estão ocorrendo aos estabelecimentos, com o forma de mostrar aos empresários, a importância da adesão ao SIM.

 

“Neste primeiro momento estamos orientando os empresários sobre a importância deles se inscreverem no SIM”, disse o veterinário Alexandre Vasconcelos Cavassa, integrante da equipe, juntamente com os agentes de atividades de saúde Enivaldo Neves Barbosa e Mário Sérgio Ferreira Bordon, e o técnico de saúde pública Ricardo Botelho Batista.

 

“Neste período visitamos mais de 30 estabelecimentos e além de orientar, estamos também fiscalizando todo o processo de produção do alimento, desde o recebimento da matéria prima até a chegada dele no mercado”, comentou. Alexandre observa que a receptividade por parte dos empresários visitados, tem sido positiva. “Alguns já até iniciaram o processo, visando adesão ao Serviço de Inspeção Municipal e isso é importante para garantir a qualidade dos produtos para o consumidor”.

 

O SIM foi regulamentado pelo prefeito Paulo Duarte por meio do Decreto 1.203, de junho de 2013, e está subordinado à Secretaria de Produção Rural. Por meio dele, o Município vai poder realizar serviços de inspeção industrial e sanitária dos produtos de origem animal, comestíveis e não comestíveis, sejam ou não adicionados de produtos vegetais, preparados, transformados, manipulados, fracionados, recebidos, acondicionados, depositados e em trânsito no município.

 

Segundo o secretário de Produção Rural, Pedro Lacerda, a fiscalização será feita com estrita observância à competência privativa estadual ou federal nos estabelecimentos industriais especializados e nas propriedades rurais com instalações adequadas para a matança de animais e seu preparo ou industrialização, sob qualquer forma de consumo, bem como nos entrepostos de recebimento e distribuição do pescado e nas fábricas que o industrializarem.

 

Ele informa que a fiscalização se estende também às usinas de beneficiamento do leite e fábricas de laticínios, nos postos de recebimento, refrigeração e manipulação dos seus derivados e nos respectivos entrepostos; nos entrepostos de ovos e fábricas de produtos derivados; nos entrepostos que, de modo geral, recebam, manipulem, armazenem, conservem ou acondicionem produtos de origem animal, e nas propriedades rurais.

 

Orientação

 

Alexandre adiantou que todas as empresas que comercializam produtos de origem vegetal estão sendo visitadas pela equipe. Ele explicou que o primeiro passo é orientar e mostrar aos empresários, a importância deles aderirem ao SIM. “Também estamos fiscalizando todo o processo de produção do alimento, desde o recebimento da matéria prima até a chegada dele no mercado”, completou Alexandre, lembrando que cada produto, mesmo semelhante, tem um número especifico.

 

A determinação é para que nenhum produtor fique fora. Por kisso mesmo, todos estão sendo identificados e orientados para se enquadrarem na Lei Municipal, cumprindo os prazos determinados. “Queremos em novembro, estar com o SIM efetivamente implantado na cidade, garantindo assim, a produção de alimento de qualidade para a população”, disse o veterinário.

 

Uma das empresas já visitadas foi a de Télcio Imada Leal, que comercializa carnes. Para ele, “a adesão ao SIM vai agregar valor ao produto que a gente comercializa aqui. Temos cortes especiais, entre outros, e o selo garante à população, a compra de um produto de qualidade”, explicou, completando que já está buscando sua regularização junto à Secretaria de Produção Rural.