Com barco próprio, Prefeitura fortalece atendimento nas regiões ribeirinhas

Décimo primeiro maior município do Brasil em extensão territorial, sendo o primeiro fora da região Norte do País, Corumbá tem quase 65 mil quilômetros quadrados e abriga 60% de todo o Pantanal sul-mato-grossense. Mesmo nos locais mais distantes da zona urbana, existem comunidades inteiras que encaram a falta de infraestrutura básica, como água encanada e energia elétrica, por exemplo, para viverem da pesca e de pequenas plantações.

 

E apesar da dificuldade de acesso, a Prefeitura de Corumbá garante atendimento o médico, social e educacional para esta parcela da população. Esse trabalho é realizado principalmente pelo Programa Social Povo das Águas, mas agora conta com mais um importante reforço. O Ministério do Desenvolvimento Social (MDS) destinou uma embarcação para uso exclusivo da Secretaria Municipal de Assistência Social e Cidadania.

 

O barco possuiu 12 lugares e é equipado com duas barracas de montagem rápida, quatro mesas retráteis, cadeiras e até um gerador de energia. “Com o apoio deste veículo, estamos podendo atender com mais qualidade e agilidade as comunidades ribeirinhas de Corumbá, mesmo as que estão mais distantes”, afirmou a coordenadora do Cras Itinerante, Lilia Maria Bezerra.

 

A embarcação é ideal para o transporte de equipes e materiais necessários para oferta dos serviços e ações de proteção social básica, com objetivo especifico de viabilizar atendimento às famílias em situação de vulnerabilidade ou risco social, especialmente aquelas em situação de extrema pobreza e que residam em comunidades com espalhamento ou dispersão populacional devido às características especificas.

 

A lancha social permite ainda a oferta prioritária dos serviços e ações da Proteção Social Básica e, se necessário, outros serviços e ações socioassistenciais no âmbito do Serviço Único de Assistência Social (SUAS), ampliando a atuação junto às famílias e comunidades que vivem em regiões ribeirinhas de forma mais regular e sistemática.

 

Na última terça-feira, 30 de setembro, a equipe esteve na região do Porto da Manga, onde realizou um trabalho de fortalecimento de vínculos com crianças de região. “Fizemos ainda um trabalho de prevenção ao uso de drogas, tanto as licitas quanto as ilícitas”, detalhou o assistente social Saturnino Almeida, integrante da equipe do CRAS Itinerante e que conta também com psicólogo e técnicos da equipe volante.

 

“Hoje temos cerca de 80% das famílias ribeirinhas cadastradas no Programa Bolsa Família, do Governo Federal. E as que não estão ou é por não se enquadrarem no perfil social do programa ou por falta de documentação. Esta última situação poderá ser resolvida de forma mais rápida com o apoio desse barco. Ou trazemos as pessoas à cidade ou buscaremos parcerias para levar os órgãos responsáveis até essas comunidades”, completou Lilia Maria.

 

O trabalho realizado pela Secretaria Municipal de Assistência Social e Cidadania nas regiões ribeirinhas será apresentado na Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, evento coordenado pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação e que acontece em Brasília, de 13 a 19 de outubro deste ano.