Negra Corumbá exalta cidade pelas manifestações culturais afrodescendentes

O pôr do sol no Porto Geral de Corumbá anunciou o início da segunda edição do “Negra Corumbá”, evento que celebrou os 236 anos de Corumbá, cidade que tem em sua história e cultura fortes influências do povo negro. Expressões religiosas, musicais e da capoeira marcaram presença no evento que adentrou a noite deste domingo, 28 de setembro.

 

Promovido pela Prefeitura Municipal de Corumbá, por meio da Secretaria de Assistência Social e Cidadania e sua Gerência de Políticas para Igualdade Racial da Casa da Cidadania, o Negra Corumbá começou ao som da Banda do Comando do 6º Distrito Naval, força armada que, historicamente, introduziu a tradição do carnaval e do samba em nossa região.

 

O grupo Cia. do Mato intercalou a programação do Negra Corumbá com a apresentação da peça “Um Pé de Circo” que mesclou artes circenses e teatrais num enredo onde o menino Zé é transportado por seres da natureza do mundo real para um mundo fantástico, povoado por borboleta, macaco, garça, gatas, taturanas, pererecas.

 

Após a pausa teatral, o palco do Negra Corumbá foi tomado pelas expressões religiosas de matrizes africanas com o show “Ritmos do Atabaque”. Pontos de umbanda foram cantados ao som do tambor que marca as cerimônias religiosas. Como a celebração de São Cosme e Damião estava recente, os umbandistas entregaram doces para o público.

 

Presente no evento, o prefeito Paulo Duarte lembrou a miscigenação do povo corumbaense e da grande importância da raça negra para a formação da sociedade local. “Corumbá é uma terra que tem muito forte o negro que faz parte da nossa vida, nossa História. Nós somos uma mistura de raças, o Brasil, mas Corumbá particularmente. Acima de tudo, combater aquilo que ainda existe de preconceito, fazendo algo que é muito natural à raça negra que está ligada à arte e à cultura”, disse.

 

A noite seguiu com apresentações de capoeira com o grupo Cordão de Ouro e do mais genuíno samba com conjuntos locais que executaram canções de exaltação ao povo negro em suas letras. As atividades artísticas foram preparadas de forma a promover a autoestima e a autoconfiança dos participantes, por meio do acesso aos bens culturais e artísticos próprios da comunidade afrodescendente de nosso município.

 

“Corumbá é uma cidade marcada por sua diversidade, trabalha com todos por ser uma cidade 100% cultural, onde se respeita o outro. Estamos aqui na beira do rio Paraguai onde as águas que são tão importantes para a religiosidade de matriz africana nos abençoam, estamos no espaço público para garantir esse acesso a todas as pessoas”, observou a diretora-presidente da Fundação de Cultura de Corumbá e vice-prefeita, Márcia Rolon.

 

Corumbá possui 71% da população afrodescendentes, sendo 40% mulheres e por isso o município avançou, segundo o gerente de Políticas para Igualdade Racial da Casa da Cidadania, Rogério César dos Santos. “Somos os pioneiros a termos um Estatuto da Igualdade Racial e um Plano Municipal da Igualdade Racial aprovado pela Câmara Municipal se tornando lei. Temos o Conselho Municipal dos Direitos dos Negros, temos várias entidades não-governamentais todas regularizadas com personalidade jurídica e utilidade pública. Temos a ACODEFAL que começou como municipal e, hoie, dá respaldo em todo o Estado. Já fizemos três conferências da Igualdade Racial. Avançamos muito, mas temos muito a negociar porque o racismo está enraizado no povo brasileiro desde nossas origens por isso essas ações na praça para que o povo perceba que temos condições de criar equidade que tanto defendemos”, comentou.

 

O Negra Corumbá contou ainda com as parcerias da Secretaria Municipal de Educação, Fundação de Cultura de Corumbá, Marinha do Brasil, Moinho Cultural e da Rede de Educação Cidadã do Mato Grosso do Sul (Recid-MS).