Em Corumbá, festas populares atraem milhares de turistas e geram empregos

Em um ano e oito meses de gestão, as festas mais populares e tradicionais de Corumbá têm transformado o Município na menina dos olhos em termos de cultura. Não só pelo fato de ter o melhor carnaval do Estado, mas por ser um dos municípios brasileiros a manter vivas tradições que misturam história regional, a fé e o profano, como o Arraial do Banho de São João e as comemorações a Nossa Senhora do Carmo, na região de Forte Coimbra.

 

Mas não só de manifestações culturais vive o homem. A manutenção dessas tradições também geram empregos e fazem girar a economia do Município, atraindo milhares de turistas. Essa movimentação gerou retorno de mais de R$ 13 milhões na circulação econômica na cidade bastante superior à registrada durante a mesma festa popular no ano anterior. Em 2013, a movimentação econômica do carnaval registrou cerca de R$ 9 milhões, montante esse que, se comparado, com 2014, contabiliza aumento de 45%.

 

Esses indicadores econômicos e demais dados sobre o perfil do turista que visitou Corumbá no período carnavalesco, foram levantados em pesquisa realizada pelo Observatório do Turismo, ligado à Fundação de Turismo do Pantanal, que traz um relatório bastante detalhado sobre os impactos da festa no município.

 

“Em 2013, o crescimento do PIB para Corumbá girou em torno de 1 a 2% e tivemos um crescimento de 45% de um ano para outro na economia devido ao carnaval, demonstrando ainda a força da festa, bem como da cidade de Corumbá”, observou o prefeito Paulo Duarte ao fazer o comparativo.

 

Além da movimentação financeira, a valorização da cultura local está ganhando o Brasil, por meio de ações que divulgam Corumbá de forma positiva atraindo muitas outras benfeitorias e projetos inovadores, como por exemplo, a reabertura do processo para o reconhecimento do Banho de São João de Corumbá como Bem Cultural Imaterial Nacional. Nesse sentido, a Prefeitura Municipal, em conjunto com a UFMS e demais institutos de pesquisa, estão produzindo um dossiê para respaldar o pedido junto ao IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional).

 

Rota do Pantanal

 

A criação da Rota Cultural do Pantanal, proposta surgida inicialmente na 1ª Conferência Intermunicipal de Cultural de Corumbá, realizada em junho de 2013, está prestes a se tornar uma realidade. Depois de ser defendida nas conferências estadual e nacional de cultura, o projeto foi estruturado, com apoio do Sebrae, em reuniões que, além de levantar as potencialidades de cada município integrante, proporcionou criações de políticas públicas culturais para a região, das quais se destaca o Fundo da Rota do Pantanal.