Em Campo Grande, prefeito trata da recuperação da ponte sobre o Rio Paraguai

O prefeito Paulo Duarte teve um encontro na manhã dessa segunda-feira, 1º de setembro, com o secretário estadual de Obras Públicas e de Transporte, Edson Girotto, quando tratou das obras de recuperação da ponte sobre o Rio Paraguai, na região do Porto Morrinho. Como se sabe, na última semana uma embarcação de origem paraguaia, colidiu com um dos pilares da ponte, causando sérios danos à estrutura.

 

Em 2011, uma outra embarcação, também de origem paraguaia, chocou-se com um dos dolfins, dispositivos de segurança que protegem os pilares de colisões. Sem esta proteção, o choque agora foi direto com um dos pilares, abrindo um vão de quase 20 centímetros e danificando a sua estrutura.

 

O prefeito foi informado por Girotto de que os reparos necessários já estão ocorrendo e que o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) já se comprometeu em reconstruir o dolfin.

 

A colisão aconteceu na madrugada do dia 26 de agosto. Desde então, o tráfego de veículos está ocorrendo de forma cautelosa, com a liberação intercalada de cada lado da via. O prefeito deve, inclusive, assinar documento ainda hoje, decretando Estado de Emergência no Município.

 

“Ainda hoje vou assinar um documento decretando Estado de Emergência no Município. É preciso uma ação imediata e urgente para que Corumbá não sofra maiores prejuízos”, explicou.

 

Duarte também manteve contato com o prefeito de Ladário, José Antônio Assad e Faria, para tratar do assunto. “Não é apenas Corumbá que sofre transtornos devido a este acidente na ponte. Ladário também tem os prejuízos e, por isso, conversei com ele para também decretar Estado de Emergência em Ladário”, informou.

 

O prefeito lembrou também que o “ministro dos Transportes, Paulo Sérgio Passos, foi procurado pelo senador Delcídio para tratar desse problema”, e que, na oportunidade, “o ministro garantiu a reconstrução do dolfin, de forma que problemas como esse não voltem mais a acontecer”, completou.

 

Interdição em 2011

 

Em maio de 2011, um empurrador paraguaio atingiu de forma semelhante a mesma ponte. Entre idas e vindas de cobrança de responsabilidades para a recuperação entre órgãos federais e estaduais, até o final daquele ano, o reparo não havia sido realizado. Isto ocorreu somente em 2012.

 

Devido a esse episódio, o município teve situação de emergência reconhecida pela Secretaria Nacional de Defesa Civil, ligada ao Ministério da Integração Nacional.

 

Naquela ocasião, o prefeito de Corumbá, Paulo Duarte, então deputado estadual, ingressou com uma ação na Vara de Fazenda Pública, do Fórum de Corumbá, cobrando a responsabilidade do Governo do Estado pelos reparos da ponte sobre o rio Paraguai.

 

Além de riscos aos usuários, o funcionamento da ponte com avarias, afeta negativamente a cadeia econômica da cidade em diversos níveis, desde o transporte de minério, uma das principais atividades do Município, até o abastecimento de produtos de consumo como alimentos, passando ainda pelo viés turístico no qual a ponte é um atrativo, bem como ligação com a cidade.