Até o fim do ano, 300 pessoas serão operadas pelo Mutirão da Catarata

Promovido pela Prefeitura de Corumbá, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, o Mutirão da Catarata vai atender 300 pessoas até o final deste ano. O trabalho está sendo desenvolvido em duas etapas. Na primeira, iniciada nessa quinta-feira, 04 de setembro, serão operados 160 idosos com mais de 60 anos.

 

Em novembro, outros 140 passarão pelo procedimento médico. Durante o trabalho de triagem, realizado no início da semana na sede do Sindicato Rural, foram diagnosticadas 790 pacientes aptos para a cirurgia. “A procura foi muito satisfatória. Atendemos 184 pessoas no primeiro dia, 294 no segundo e 312 no terceiro”, destacou a secretária de Saúde de Corumbá, Dinaci Ranzi.

 

“Com esse levantamento atualizado, nosso objetivo é zerar essa fila de espera pela cirurgia da catarata já no começo de 2015, quando pretendemos realizar mais um Mutirão na cidade”, continuou a secretária. Em 2013, a ação da Prefeitura já havia devolvido a visão a 235 pessoas prejudicada pela doença.

 

Os procedimentos cirúrgicos estão sendo realizados no Centro de Oncologia, que foi devidamente preparado para receber os pacientes e a equipe médica, composta por dois médicos, duas auxiliares e uma enfermeira. Os profissionais são os mesmos que estiveram na cidade no ano passado, vindos de Bauru (SP).

 

“Não houve nenhum tipo de prejuízo para os pacientes da oncologia. Tudo foi muito bem planejado e estudado para que acontecesse da melhor forma possível”, finalizou Dinaci. O local escolhido agradou tanto a equipe médica quanto os pacientes. “Fui muito bem atendida aqui”, contou Dalva Pessoa de Carvalho, 71 anos.

 

Ela operou a vista esquerda motivada pelo marido, Edson de Carvalho, 80 anos, que já tinha feito parte do mutirão em 2013. “Ele operou um lado e agora voltou para acertar o outro. Ele está enxergando muito bem. Da primeira vez, quando ele tirou o curativo, deu até um grito de emoção. Por isso tomei coragem de fazer também”, continuou a moradora do bairro Beira Rio.

 

E a expectativa de Dona Dalva é voltar a ver as coisas da vida com mais nitidez. “De longe, já não enxergava nada. Era tudo um borrão só”, lembrou. Todos os pacientes receberam orientações para o pós-operatório e um colírio, que deve ser usado depois da remoção da gaze usada para proteger o globo ocular após o procedimento.

 

As cirurgias serão realizadas até o próximo domingo, 7 de setembro. Todos os pacientes agendados durante a triagem devem ir ao Centro de Oncologia com um acompanhante. A catarata provoca a opacidade parcial ou total do cristalino ou de sua cápsula. Pode ser desencadeada por vários fatores, como traumatismo, idade, Diabetes mellitus, uveítes, uso de medicamentos.