Povo das Águas detecta problemas recorrentes e elabora projeto para atender ribeirinhos

Com uma média superior a três procedimentos por paciente, os atendimentos odontológicos realizados nesta última edição do Programa Povo das Águas, que chegou às comunidades da região do Taquari na última semana, foram parte importante dentro da programação que levou, além de ações de Saúde, Assistência e Educação para a população ribeirinha.

 

O coordenador de Saúde Bucal de Corumbá, Cláudio Alencar, que integra equipe do Povo das Águas, contabilizou 101 pacientes e 349 procedimentos, desde os mais incisivos como extrações até os preventivos, incluindo aplicação de flúor.

 

Por serem comunidades que estão localizadas numa das regiões mais distante da área urbana de Corumbá, o acesso desses moradores a serviços para a saúde e bem-estar bucal, torna-se praticamente inacessível. Somado a isso, fatores culturais contribuem para lesões severas nas estruturas dos dentes.

 

“Infelizmente, ainda temos um grande número de extrações porque, nessas regiões, é pregada a utilização do dente até que ele estrague na boca. Muitas vezes, o trabalho preventivo não tem como surtir efeito porque a lesão é irreversível”, comentou Alencar ao revelar que já está em fase de aprovação um novo projeto intitulado “Prótese nas Águas”.

 

“Ele consistirá na levada de profissionais até essas pessoas para a confecção de próteses, a fim de devolver a saúde, a autoestima e todos os benefícios adquiridos com uma dentição completa”, comentou o coordenador.

 

Avanços

 

Entretanto, num comparativo com a faixa etária infantil, Cláudio observa avanços no trabalho realizado ao longo das várias edições do projeto Povo nas Águas. Ele se mostra bastante otimista com o quadro vislumbrado em várias comunidades.

 

“Acredito que evoluiu bastante. Ainda presenciamos casos de cáries e quadros de dor nos dentes, mas, de um modo geral, esse número reduziu sobretudo nas crianças, nessa nova geração de ribeirinhos que absorvem com maior facilidade as orientações preventivas sobre a correta escovação que sempre repassamos durante nossas visitas”, afirmou.

 

Ele ainda explicou que a constância das visitas da equipe Povo das Águas é ponto primordial para o bom desempenho do trabalho odontológico, afinal, assim como ainda acontece na cidade, a figura do dentista é bastante temida e o ganho de confiança, a relação que se forma entre o ribeirinho e o profissional ajuda imensamente em qualquer ação dessa natureza.

 

“Trabalhamos esse acolhimento. Hoje, conhecemos um a um pelo nome. Formamos ao longo desses anos, uma relação de amizade e confiança que é fundamental ao atendimento odontológico. É dessa forma que a gente busca driblar essa desconfiança que é uma característica de comunidades que vivem distantes”, comentou Cláudio sobre o que, segundo ele, é uma das maiores recompensas do trabalho realizado junto às comunidades pantaneiras atendidas pelo programa Povo das Águas.

 

Além da assistência odontológica, o Programa oferece aos ribeirinhos demais atividades formuladas pela Secretaria Municipal de Saúde, bem como pelas secretarias de Educação, Produção Rural e de Assistência Social e Cidadania, além da Defesa Civil e da Fundação do Meio Ambiente. Participam do programa médicos, dentistas, enfermeiras, vacinadoras, assistentes sociais, pedagogas, professoras, agentes comunitários de saúde, agentes de endemias, agentes de Defesa Civil, além de agentes ambientais do Município.

 

O Povo das Águas tem possibilitado à Prefeitura promover o desenvolvimento comunitário integrado e sustentável nas comunidades das regiões das águas, envolvendo todos os segmentos públicos, sociedade civil organizada e colaboradores para atendimento à população residente em áreas de difícil acesso, por meio de serviços de qualidade, como forma de minimizar as adversidades e proporcionando o exercício da cidadania.