Comunidade boliviana celebra data pátria com ato cívico e cultural

A cerimônia já se tornou tradicional na cidade de Corumbá, fronteira com os municípios bolivianos de Puerto Quijarro e Puerto Suárez, e marca a cada dia 06 de agosto, as comemorações da Independência da Bolívia. As cores do país vizinho – vermelho, amarelo e verde – predominam nas vestimentas e símbolos pátrios para recordar os 189 anos de Independência, cujo libertador foi Simón Bolívar.

 

O ato contou com a presença de autoridades civis, militares e eclesiásticas no Jardim da Independência, na área central corumbaense, onde a comunidade boliviana residente em Corumbá, esteve presente.

 

A Banda Municipal Manoel Florêncio executou os hinos nacionais dos dois países e, em seguida, um arranjo floral foi depositado aos pés da estátua do herói da Retomada de Corumbá, Antônio Maria Coelho, num gesto de respeito por ser também uma figura histórica de importância para Corumbá.

 

O representante consular da Bolívia no Brasil, Oscar Felix Cuellar Cuchallo, falou sobre a data pátria e a integração fronteiriça em nossa região. “Agradecemos pela acolhida que nos brinda Corumbá: primeiro, como seus hóspedes e, em alguns casos, chegando a ser irmãos, filhos e netos desse país. As cidades de fronteira são as mais sublimes porque não existem a distinção entre ser de um e de outro país. Todos somos irmãos, somos um e podemos viver e trabalhar pelo bem-estar de nossos filhos e de nossa família”, discursou.

 

Em sua fala, o prefeito de Corumbá, Paulo Duarte, destacou as ações que o Município desenvolve envolvendo cidadãos, independentemente de sua nacionalidade. Para o chefe do Executivo, é dessa forma que efetivamente acontece a tão propalada integração.

 

“A melhor forma de demostrar que somos irmãos e parceiros não é na retórica, mas com atitudes concretas de integração com o povo boliviano. Diariamente, centenas de crianças e pais bolivianos atravessam a fronteira com seus veículos para nossas escolas onde são tratados com profundo respeito e dignidade. A mesma coisa na área de Saúde, pois são muitos os casos de filhos de bolivianos que nascem em nossa Maternidade”, exemplificou.

 

Duarte ainda lembrou as similaridades entre as duas regiões ao destacar que o pensamento e ações conjuntas são o que garantirão a melhoria de vida para os moradores, seja qual for o lado da linha divisória de fronteira.

 

“Temos em mente que devemos crescer juntos e nossa região, assim como a Bolívia, tem grandes riquezas naturais e que, além de exploradas com sustentabilidade, que gerem riqueza e renda para o povo pantaneiro e boliviano”, observou.

 

Ele ainda aproveitou a presença de representantes do povo palestino, que tem uma grande colônia em Corumbá, para exaltar o caráter pacífico do município que recebe não apenas pessoas devido a serem oriundos de um país vizinho.

 

“Quero deixar minha solidariedade ao povo palestino que sofre as agruras de uma guerra sem fim, uma guerra que já ceifou a vida de milhares de inocentes. Aqui, em nossa região, antes de mais nada, temos uma fronteira que vive em paz. Temos uma relação de absoluto respeito com todos os povos que ajudam a construir a nossa cidade”, afirmou.

 

Depois da parte cívica, a cerimônia, que também contou com a presença da vice-prefeita e diretora-presidente da Fundação de Cultura de Corumbá, Márcia Rolon, seguiu com apresentações culturais de música e dança tradicionais bolivianas.