Recital da Academia de Música apresentou resultados do 1º semestre letivo

Um momento para mostrar o que, ao longo de seis meses, os 180 alunos da Academia de Municipal de Música Manoel Florêncio (AMANF) desenvolveram durante as aulas teóricas e práticas do projeto que é desenvolvido pela Prefeitura Municipal de Corumbá, por meio da Fundação de Cultura de Corumbá.

 

O Concerto Internacional da Academia de Música foi aberto na noite desta quinta-feira, 03 de julho, quando os alunos executaram diversos estilos musicais desde o erudito até o popular, apresentando as habilidades adquiridas com a didática aplicada pela AMANF.

 

Foi a primeira apresentação sob a estruturação de Academia de Música, pois, anteriormente, o projeto seguia o modelo de Escola. Com a nova postura didática, foram agregados atividades e um novo jeito de encarar a música.

 

“A partir de agora, daremos passos inovadoras, teremos ideias de outros grupos musicais, também como foco no regional. Passar para esses meninos o regional como patrimônio imaterial e a valorização da nossa música como algo muito importante para o Pantanal, esse espaço onde eles estão inseridos e precisam conservar”, disse a vice-prefeita e diretora-presidente da Fundação de Cultura de Corumbá, Márcia Rolon, sobre o segundo semestre letivo das crianças e jovens integrantes da AMANF.

 

Para ela, quanto mais os jovens estudantes da música tenham oportunidade de se apresentar ao público, mais eles se aprimoram na formação artística na relação com o público.

 

“Fazer com que eles criem, e tenham vontade de serem os autores de suas histórias, a segurança que ele tem ao se colocar em frente a um público e toca algo que ele mesmo compôs, sabemos que ali residirá um ótimo profissional em qualquer área. Aqui é uma preparação para o dia-a-dia, para o respeito, é todo um processo de formação humana, de como eu me coloco e me porto na frente do outro”, explicou ao lembrar que até o final do ano outro recital deve ser programado.

 

“Sabemos que falta muito, é um laboratório de experiências que estamos fazendo, mas com muito foco e determinação, sabendo que daqui, no mínino, 3 anos, teremos muitos resultados. Essa prática vai transformando e tornando as pessoas melhores do que eram ontem”, avaliou Márcia Rolon.

 

Presente no evento, o prefeito de Corumbá, Paulo Duarte, lembrou que as ações culturais desenvolvidas pelo município visam a democracia e isso se mostra em momentos como o do recital.

 

“Cultura não tem idade, não tem classe social, é para todos. As ações da Prefeitura Municipal visam isso, ao passo que reforçam aquilo que é uma de nossas maiores características: a cultura singular”, resumiu o chefe do Executivo que assistiu a apresentação ao lado da primeira-dama e diretora presidente da Fundação de Desenvolvimento Urbano e Patrimônio Histórico (FUPHAN), Maria Clara Scardini.

 

O recital apresentou, além dos trabalhos desenvolvimentos com instrumentos como violão, flauta doce e outros, a potencialidade da união de vozes com os grupos de canto coral formados por crianças e adolescentes que colocou o público presente a cantar junto com eles músicas como “Aquarela”, “Nos Bailes da Vida” e a regional “Chalana”.

 

O plateia também conheceu o grupo performático “AMANF Drum Corps”, criado a partir de várias oficinas de prática instrumental, que de um jeito descontraído, levantou a platéia com o som. Os alunos da Orquestra Experimental do Campo, formada pelo projeto “Música ao Campo”, que leva educação musical à zona rural de Corumbá como extensão da AMANF tiveram um momento de destaque e, posteriormente, se uniram com alunos da Academia na cidade, e criaram a “Filarmônica do Pantanal”.

 

Hoje, 04 de julho, o Concerto Internacional da Academia de Música segue com apresentações de Grupo de Choro da AMANF, dos alunos do Moinho Cultural Sul-Americano e da banda nipo-espanhola ST Fusion. O evento é gratuito e realizado em parceira com o SESC Corumbá, onde estão acontecendo as apresentações, a partir das 20 horas.