Prefeitura desenvolve programa voltado às pessoas em situação de rua

A Prefeitura de Corumbá está desenvolvendo ações com o intuito de melhorar as condições daquelas pessoas que vivem em situação de rua. A abordagem social foi intensificada nos últimos dias, devido principalmente às condições climáticas. O trabalho está sendo desenvolvido por uma equipe do Centro de Referência Especializado para População em Situação de Rua (Centro Pop), vinculado à Secretaria de Assistência Social e Cidadania.

 

Segundo a secretária Andréa Cabral Ulle, as ações ocorrem diariamente e, com a chegada do frio, foi intensificada pela equipe composta por assistente social, psicólogas e educadores sociais, no sentido de localizar e conscientizar as pessoas em situação de rua, sobre os agravos em permanecer nessa condição.

 

A abordagem social objetiva ainda localizar as famílias destas pessoas, visando o fortalecimento dos vínculos e criando condições de mudança dessa realidade. Ao mesmo tempo, os profissionais estão providenciando segunda via de documentos, realizando a inserção no Cadastro Único, além de conduzir estas pessoas para cursos de qualificação profissional, buscando dar cidadania, gerar renda, encaminhar para tratamento de saúde, entre dentre outros serviços.

 

Com a chegada das frentes frias, e durante as baixas temperaturas, as equipes intensificaram as buscas ativas para sensibilizar e conduzir estas pessoas para a Casa de Passagem – Albergue da Fraternidade José Lins, onde recebem alimentação e roupas, principalmente. Andréa observa que, se desejarem, podem permanecer na casa que conta com uma equipe multidisciplinar que estudará todos os casos, a fim de realizar os encaminhamentos necessários que cada situação requer. “Entretanto, para aquelas pessoas que insistirem em permanecer nas ruas, é fornecido lanche e os mesmos recebem mantas e cobertas, para se protegerem do frio”, explicou.

 

Levantamento divulgado pela equipe do Centro Pop, em seis meses de trabalho, já foram cadastradas na cidade, 125 pessoas em situação de rua. Desses, 93 foram encaminhados para o Albergue, 17 foram reinseridos na família, quatro foram inseridos no mercado de trabalho e 78 foram encaminhados para tratamentos de saúde no CAPS AD, CAPS Fragelli, Posto João de Brito. Além disso, 36 foram beneficiados com segunda vias de documentação básica (Certidão de Nascimento, RG, CPF e Carteira de Trabalho).

 

Andréa Ulle salienta que a população pode ajudar no trabalho, ligando para o Centro POP (3231 4423) ou para Casa de Passagem (3907 5241), ou mesmo encaminhando as pessoas em situação de rua para atendimento nos referidos serviços especializados. Entretanto, ela alerta: nunca se deve dar dinheiro e ou esmolas. “Isso não colabora e sim fortalece a permanência das pessoas nas ruas e na dependência química de álcool ou outras drogas”, ressalta.

 

A secretária informa ainda que o serviço de abordagem social está constantemente nas ruas, sensibilizando, aproximando, monitorando e possibilitando o início da construção do processo de saída dessa condição para uma nova perspectiva. “O trabalho de conscientização e orientação é contínuo, mas não há nenhuma lei que obrigue essas pessoas a serem retiradas forçadamente das ruas. Por isso mantemos o atendimento de orientação durante todo o ano”, diz.

 

“É importante a conscientização de toda a população para que não promovam a permanência das pessoas nas ruas. Não dê esmolas, dê cidadania! Assim todos estarão dando dignidade e atendimento a estas pessoas que se encontram nessas condições”, conclui.